AtualidadeRecrutamento e seleção

4 tendências de emprego para Engenharia em Portugal

O mercado da engenharia e operações em Portugal está a viver um bom momento: o país atravessa uma fase positiva de crescimento económico, que faz com que a indústria se desenvolva e volte a contratar. Cristiano Aron, director da Robert Walters em Portugal, fala-nos das principais tendências da área.

1 – Setores da energia, automóvel e serviços com maior dinamização laboral

Todas as indústrias, de forma geral, têm dinamizado o mercado laboral português no último ano, mas sentimos uma forte demanda em especial nos setores da energia, automóvel e serviços.

Muitas destas indústrias têm operações fortes em Espanha, e começam a tentar implementar o seu negócio em Portugal, expandido as suas atividades para o mercado do nosso país devido ao crescimento da economia. Esta é uma das razões principais para o aumento das ofertas de emprego nas áreas de engenharia e operações.

De entre os postos oferecidos, incluem-se Country Managers para ficarem responsáveis pelo negócio em Portugal, ou diretores de operações.

Na área da energia, além da expansão de algumas multinacionais para Portugal, outras empresas têm ampliado os seus núcleos técnicos através da contratação de engenheiros especializados, tanto para as áreas de projetos, como para as áreas comerciais.

A indústria automóvel tem tido um forte crescimento no nosso país, havendo igualmente um aumento da oferta de emprego para cargos de Operações no setor da mobilidade e transportes. Muitas empresas do sector automóvel têm recrutado diretores comerciais, o que indica uma previsão de aumento no volume de vendas, que afetaria positivamente toda a cadeia de produção.

Finalmente, no setor dos serviços desta área observamos uma forte aposta no mercado da mobilidade, com a contratação de gerentes de operações, ou de Country managers quando se tratam de start-ups.

2 – Áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto concentram ofertas, mas também o centro do país

As ofertas de emprego para a área da indústria encontram-se espalhadas um pouco por todo o país, embora a procura principal esteja concentrada nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto, onde há mais emprego de forma geral. No entanto, existe bastante demanda também na região centro do país, onde temos muitas indústrias de transformação, principalmente no campo dos plásticos, além de alguns suppliers no mercado automóvel. Estes últimos têm procurado pessoas com experiência específica em desenvolvimento, manutenção e qualidade.

Contudo, a região centro apresenta algumas dificuldades em atrair talento devido à localização, não sendo tão atrativa enquanto polo de emprego para os profissionais mais qualificados como Lisboa ou o Porto.

3 – Posições técnicas e altamente especializadas com um perfil comercial são as mais procuradas

Os postos de trabalho para posições técnicas e altamente especializadas, como por exemplo profissionais das áreas de gestão de manutenção, qualidade, processos e produção são muito demandados, além de haver uma grande procura de profissionais técnicos com habilidades comerciais.

Posições de Country Manager com bagagem e conhecimento técnico têm igualmente revelado grande procura. Acima de tudo, procuram-se profissionais proativos e com capacidades de gestão.

4 – Podem-se esperar aumentos salariais em Engenharia e Operações

Começa-se a notar uma evolução positiva nos valores salariais oferecidos em engenharia e operações em Portugal. Atualmente, temos mais vagas do que candidatos para esta área no país: esta falta de profissionais especializados disponíveis no mercado, tanto pela especificidade das qualificações, como pela fuga de talento português para outros países, tem obrigado as empresas a aumentar os salários para atrair os melhores profissionais e conseguir mantê-los nos cargos, tendência que se vai manter este ano.

Aliás, espera-se que os salários para a área de Engenharia subam em média 6% em Portugal consoante os cargos, dimensão das empresas e anos de experiência. Profissionais com mais anos de casa estão em melhor posição para pedirem aumentos de ordenado.

Homepage

Outras notícias que podem ser do seu interesse

Facebook
image_pdfimage_print
Previous post

ARTIGO EXCLUSIVO: O impacto das experiências imersivas no desenvolvimento dos seus colaboradores

Next post

Os seus dados dos colaboradores respeitam a RGPD?

Cristina Barros

Cristina Barros

Managing director do IIRH

No Comment

Deixar uma resposta