CarreiraCategorias

A importância de estabelecer relações com empresas de Executive Search

Desenvolver e consolidar um relacionamento com os consultores que trabalham em Executive Search, é um passo importante para quem procura um novo desafio profissional.

É vital estar na “mira” dos Consultores de Executive Search, por forma a se potenciar as possibilidades de se ser abordado para novas oportunidades, uma vez que estes processos são geralmente exclusivos de quem os desenvolve e desconhecidos do público em geral.

Estes profissionais, para além de serem considerados os “guardiões” da maioria das melhores oportunidades de trabalho em todo o mundo, podem também prover ótimas ideias e trazer informações sobre o mercado de trabalho como um todo.

Para além dos processos de seleção considerados clássicos, em que se pode participar de uma forma direta, através da resposta a um anúncio, consulta de sites de ofertas de emprego, e redes sociais, aumenta-se desta forma e significativamente, o leque de probabilidades na busca de um novo desafio. É assim de extrema importância estreitar relações com as empresas de Executive Search.

Compreender como é que estes especialistas em recrutamento trabalham, como é que os podemos contatar e como otimizamos o retorno da aproximação que se desenvolve, é algo bastante importante para quem está no mercado à procura de emprego.

 Como é que as empresas de Executive Search trabalham?

  •   Pesquisa exaustiva na procura do perfil ideal

Os processos de Executive Search, geralmente começam com um pedido por parte da empresa que pretende recrutar. É realizado um briefing e é entregue uma descrição com o perfil do executivo que procuram, e este descritivo geralmente inclui hard e soft skills. Esta fase de arranque do projeto é de extrema importância, porque condiciona os trabalhos futuros e o seu sucesso.

A partir desta reunião o recrutador traça o caminho a seguir, tendo presente que foram contratados como agilizadores do processo. O que é expetável é que sejam encontrados candidatos top, verdadeiros highflyers, que correspondam aos critérios descritos na job description, e que componham uma short list de qualidade excecional.

A exigência da função leva a que estes profissionais sejam muito cirúrgicos nas suas pesquisas e muito focados em resultados., não havendo espaço a atitudes de condescendência a projetos que não sejam bem- sucedidos. Por todas estas razões, justifica-se o porquê de muitas vezes o profissional que procura emprego (Jobseeker), não seja contactado pela empresa de Executive Search, caso não corresponda aos critérios definidos, mesmo que tenha um excelente curriculum e ótimo background.

  • Orientação para o cliente

As empresas de Executive Search celebram o contrato de lealdade com a empresa e não com o candidato. A relação existente com o profissional é meramente moral, não sendo estabelecido nenhum acordo vinculativo com o individuo.

O candidato, ao entrar em contacto com as empresas de Executive Search, não está necessariamente a realizar algum tipo de favor. O core destas consultoras não passa por impulsionar um fluxo de candidatos à procura de uma recolocação, mas sim movido por uma necessidade específica da empresa contratante dos seus serviços: o cliente; a sua missão é encontrar o melhor candidato possível, independentemente de este profissional estar ou não à procura de uma mudança na carreira.

Em suma, as empresas de Executive Search devem ser vistas como um importante canal de conexão, que poderá abrir portas e potenciar a ligação com maior número de ofertas de emprego, e não como uma forma personalizada de ajuda.

2Como contactar os Consultores de Executive Search?

1º Construir um quadro de referência que contenha informação completa da atividade de pesquisa.

 Esta base de dados possibilita a atualização dos diversos registos que se realizam na fase de pesquisa do novo desafio profissional, e será também utilizada numa fase posterior, para dar a conhecer a nova situação profissional aos diversos agentes com os quais se contactou.

A tabela deverá conter os seguintes campos:

  • Nome da empresa de Executive Search;
  • Morada;
  • Contactos (Telefone e email geral);
  • Nome dos principais interlocutores com respetivo contacto direto;
  • Data do contacto e envio de carta de apresentação e respetivo cv;
  • Status do contacto.

2º Identificar as empresas de Executive Search que atuam no mercado português.

O número de empresas que atuam na área de Executive Search em Portugal é reduzido, o que facilita a sua identificação. Existem algumas formas para facilitar esta tarefa:

  • Realizar pesquisa online, através do motor de busca: “Executive Search em Portugal”, “Head Hunters em Portugal”. Visitar os respetivos sites e desta forma conhecer, se bem que de forma institucional, como operam no mercado;
  • Consultar o Linkedin na “área das empresas” por executive search e explorar a informação disponível;
  •  Usar a rede de networking para solicitar referências de empresas que atuam nesta área, como por exemplo, amigos ou  ex-colegas. Todos serão boas fontes de referência;
  •  Potenciar os contactos com algum profissional que trabalhe diretamente nesta área e pedir-lhe auxílio. Pode consistir numa vantagem, pois podem facultar uma lista dos principais operadores, com contactos privilegiados, para entrar de imediato em ação.
  •  Obter ajuda profissional. Se optar por uma ajuda profissional que o irá acompanhar em todas as fases deste processo, poderá contar com a Cranberry e os consultores especializados na área de Career Advisory.
3º De que forma contactar as empresas de Executive Search

Depois das empresas e dos respetivos interlocutores identificados, o próximo passo é contactar as empresas.

  • Contacto por e-mail: É preferível abordar o consultor por e-mail, umas vez que estará mais predisposto a responder por esta via, do que provavelmente atender uma chamada telefónica.Mesmo que não se obtenha resposta, sabe-se de antemão, que o cv ficará registado na Base de dados e comum a toda a equipa.
  •   Oferecer ajuda: Para além da carta de apresentação e do cv, referir que terá todo o gosto em ajudar na condução de algum projeto, através da identificação de profissionais ou de referências. Será certamente uma vantagem competitiva em relação a outros profissionais. Estreita assim no imediato a relação, e valoriza a atividade de pesquisa.
  •   Ser claro na sua candidatura: Os consultores de executive search recebem centenas de candidaturas espontâneas. Para lhes facilitar o trabalho na validação do cv, é importante na carta de e-mail ser bastante conciso e enunciar de forma objetiva qual o propósito do contacto, área de especialização e motivações futuras.
  •   Criar um “assunto” apelativo: No envio do e-mail criar um assunto descritivo é uma vantagem e ajuda a diferenciá-lo das demais candidaturas. Por exemplo: “ Profissional da área de Marketing” ou “ Executivo de Marketing – Experiência na P&G”.Outra nota importante é realçar o nome da pessoa que o referenciou, caso seja essa a situação, e assim poderá ter a certeza que o consultor irá ler o seu e-mail.
  •   Anexar apenas o CV: Não é necessário anexar qualquer tipo de documento para além do cv. Nesta fase não necessitam de cópias de certificação de qualquer tipo de curso, ou de cartas de referência. Caso venham a ser necessárias, terão oportunidade de as solicitar. É possível que após a receção do seu cv em formato PDF, lhe solicitem a versão em formato editável, isto acontece simplesmente por uma questão de inserção na base de dados. É importante também não esquecer a importância de enviar um cv bem elaborado em termos do seu conteúdo e estrutura.
  •   Referir a sua presença na Web: Para além do cv, pode encaminhar o consultor, caso queira saber mais sobre a sua pessoa, para algum blog pessoal, perfil do Linkedin ou do Google+. É claro que ao fazê-lo, estará a acrescentar valor à sua informação já disponível.

    Como elaborar uma Carta de Apresentação para consultores de Executive Search
  • Cartas de Apresentação: As cartas que acompanham o cv são muito importantes na medida em que influenciam a validação da candidatura e é, na maioria dos casos, o primeiro contacto entre Consultor/Empregador e Candidato, pelo que a sua elaboração deverá revestir-se de cuidados especiais.
  •  A carta deverá estar orientada para as necessidades do consultor de Executive Search;
  • Deve-se mostrar disponível para ajudar, e qualquer consultor tem abertura para esta oferta porque está sempre recetivo para aumentar a sua rede de conexões;
  • Informação descrita de uma forma muito sucinta e clara;
  • Fecha com sugestão para um possível encontro ou mesmo conversa telefónica sem qualquer tipo de pressão;
  • Não revela qualquer tipo de ansiedade, e sim sugestão de mútua ajuda com o propósito do contacto.

(artigo do Cranberry Jam – o blog da Cranberry ABC)

imprimir
Previous post

Merck escolhe Energy University™ da Schneider Electric

Next post

4 Passos para potenciar a sua rede de contactos | CRANBERRY ABC

Cristina Barros

Cristina Barros

Managing director do IIRH

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *