AtualidadeEmpresasMercado de Trabalho

AKI aumenta salário mínimo para 602€

ORDENADO DE ENTRADA NA EMPRESA DE BRICOLAGE É CERCA DE 8% SUPERIOR AO SALÁRIO MÍNIMO NACIONAL

É já a partir de julho deste ano, que o AKI aumenta o salário mínimo de admissão para 602 euros. Com este acréscimo, o AKI, que já pagava um ordenado base de entrada acima do ordenado mínimo, vai remunerar todos os colaboradores que se enquadram neste escalão 8% acima do salário mínimo nacional.

Para Sandra Barranquinho, este aumento da remuneração enquadra-se na estratégia global de “melhoria contínua das políticas de remuneração e incentivos da empresa”. A diretora de recursos humanos do AKI sublinha ainda: “pretendemos ser uma empresa de pessoas para pessoas e, por isso, as nossas Políticas de Recursos Humanos assumem uma importância real na nossa estratégia empresarial”

As políticas de remuneração do AKI incluem políticas como o prémio de progresso trimestral e o “acionariado  para todos”, bem como, a distribuição de 16% dos lucros anuais pelos colaboradores; seguro de saúde e de vida e descontos e vantagens exclusivas através de 1500 protocolos com outras entidades (clube Proximidade).

Para além disso, a empresa aposta fortemente em estratégias concretas de “engagement”, sendo disso exemplo, o projeto INOVAKI – um acelerador de ideias dos colaboradores para implementação concreta – a formação contínua de todos os Colaboradores que complementam os seus planos de desenvolvimento individuais.

O AKI continua a executar o seu plano de expansão até 2020, tendo o objetivo de duplicar o parque de lojas, passando das atuais 35 para 64. Com um investimento de 100 milhões de euros, o plano passa por abrir lojas em zonas de influência na ordem dos 20 mil habitantes. Para acompanhar esta expansão, espera-se o crescimento da equipa AKI com a criação de mais 670 postos de trabalho líquidos, atingindo-se os dois mil colaboradores.

+ News:

Previous post

Mulheres gestoras querem maior diversidade na liderança das empresas

Next post

Millennials e mulheres colocam equilíbrio entre vida profissional e pessoal no topo das prioridades

Vanessa Henriques

Vanessa Henriques

Diretora Executiva da RHmagazine

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *