Recrutamento e seleção

Evolução do recrutamento: tecnologia, mundo digital, ciência de dados e aprendizagem automática

Os desenvolvimentos alcançados nas áreas dos dados, aprendizagem automática, analítica preditiva e tecnologia digital têm resultado numa transformação do modelo de recrutamento, criando com uma mudança fundamental na forma como as organizações encontram e recrutam os talentos necessários, de acordo com a especialista em consultoria de recrutamento Hays plc.

O novo relatório lançado pela Hays, “Recruitment Remodelled”, examina a evolução do setor do recrutamento, onde as tradicionais competências humanas que permitem fazer a ligação entre candidatos e organizações estão agora a trabalhar de “mãos dadas” com a ciência de dados, aprendizagem automática, analítica preditiva e outras ferramentas e tecnologias digitais.

Alistair Cox, CEO da Hays plc, afirma, “nos meus 10 anos enquanto CEO da Hays, nunca tinha visto o setor do recrutamento a evoluir tão rapidamente como hoje. A tecnologia, a dinâmica do mundo digital e o advento da ciência de dados e da aprendizagem automática estão a alimentar estas mudanças”.

E acrescenta, “para os negócios, aquela questão fundamental de encontrar o melhor talento para a sua estrutura não mudou, o que evoluiu em todo o nosso setor foi a forma como é gerido este processo, numa era em que a tecnologia trouxe novas formas de encontrar talentos de elevada qualidade”.

A abordagem tradicional ao recrutamento – definida pela Hays como “Advertise & Apply” – baseava-se na divulgação das oportunidades de emprego em múltiplos canais para solicitar candidaturas por parte dos candidatos. Este modelo há muito estabelecido já não é suficiente no mundo digital de hoje, uma vez que é dirigido principalmente à comunidade ativa, e não passiva, de candidatos. Além disso, a facilidade com que os candidatos conseguem responder aos anúncios de emprego online dificultou os processos, gerando elevados volumes de respostas, muitas das quais inadequadas às oportunidades publicadas.

Um novo modelo de recrutamento tem sido desenvolvido e implementado pela Hays – definido como ‘Find & Engage’ – que combina as melhores técnicas de recrutamento e a relação estabelecida pelos candidatos com as novas oportunidades apresentadas pela tecnologia digital, ciência de dados e aprendizagem automática. Esta abordagem destina-se a maximizar a probabilidade das organizações encontrarem os melhores talentos, permitindo-lhes pesquisar os candidatos ativamente à procura de emprego, mas também chegar a um grupo muito mais amplo de candidatos passivos.

Alistair Cox continua, “recrutar os melhores talentos foi sempre uma arte, construída em torno do desenvolvimento de relações de confiança e da capacidade para avaliar a compatibilidade de um candidato para uma oportunidade de emprego. No entanto, recentes desenvolvimentos significativos nos dados, aprendizagem automática e tecnologia digital permitem-nos agora combinar arte e ciência para oferecer as melhores soluções, de forma mais rápida e à escala real”.

E finaliza, “este mundo digital e o nosso novo modelo ‘Find & Engage’ estão a colocar a relação entre o recrutador e o candidato no centro do recrutamento. O valor do “toque humano” no nosso setor não pode ser subestimado e isso sempre será o cerne do que fazemos. Mas as novas tecnologias e a ciência de dados, em que estamos a ser pioneiros, permitem-nos evoluir nos nossos processos e trabalhar numa escala que não era possível antes, de forma a garantir que encontraremos sempre os melhores candidatos, onde quer que estejam, para os nossos clientes, para que sejam bem-sucedidos e prosperem”.

Mais notícias:

Facebook
image_pdfimage_print
Previous post

Encontro Nacional da APG discute futuro da Gestão das Pessoas

Next post

Rita Travassos assume liderança da Direção de Marketing da Ocidental e Médis

Ana Silva

Ana Silva

No Comment

Deixar uma resposta