73% das empresas já contratou através das redes sociais

A Michael Page, lança o Guia Rápido de Gestão da Reputação Online, uma ferramenta gratuita para ajudar os profissionais a gerirem e melhorarem a sua marca pessoal nas redes sociais.

 

A “explosão” das redes sociais está a impactar fortemente o mercado laboral, que cada vez mais recorre às mesmas como ferramenta adicional no momento de recrutar talento. Atualmente, 14,4 milhões de pessoas recorrem às redes sociais para procurar oportunidades e 58% dos profissionais segue as empresas nas quais quer trabalhar. Cada vez menos indiferentes a esta realidade, 73% das empresas já contratou através das redes sociais.

Joana Barros, Senior Marketing Coordinator da Michael Page, alerta que:

“não nos podemos esquecer que o que colocamos na internet se torna automaticamente público e “eterno”. Os comentários pessoais devem ser bem escolhidos pois podem beneficiar ou prejudicar a sua imagem. Trata-se simplesmente de pensar que o seu perfil nas redes sociais pode ser visto por recrutadores e há que ter cuidado com as opiniões em público”.

O Guia Rápido de Gestão da Reputação Online da Michael Page foi criado para ajudar os profissionais a aprenderem a gerir a sua presença online e a criarem uma marca pessoal que lhes permita aumentar a sua rede profissional, atrair novas oportunidades, tornar-se um influenciador na sua área e ganhar reconhecimento no seu setor.

Traduzindo-se num minisite, o Guia Rápido de Gestão da Reputação Online da Michael Page oferece uma rápida e clara explicação sobre marca pessoal e redes sociais, a visibilidade a que estão sujeitos os perfis online e sua influência.

#Dica

Alguns dos conselhos partilhados pela Michael Page:

  • Complete todos os campos do seu perfil.
  • Pesquise o seu nome nos motores de busca e redes sociais.
  • Seja consistente em todos os seus perfis.
  • Utilize imagens para tornar a sua presença nas redes sociais mais dinâmica.
  • Se necessário, apague conteúdos menos favoráveis ou com os quais já não se identifica.
  • Integre grupos do seu setor.

 

Para consultar o Guia Rápido de Gestão da Reputação Online, visite o minisite.

 

Outras notícias

 




Open day para a aviação proporciona centenas de vagas de emprego

O Evento SLOT OPEN DAY irá proporcionar a todos os candidatos que o visitem, a possibilidade de se candidatarem a centenas de vagas existentes para Companhias Aéreas na Alemanha e Polónia.

O SLOT OPEN DAY é a primeira etapa. Já no dia 6 de maio!

O evento é aberto ao público em geral.

Neste dia, os candidatos assistem uma apresentação sobre o País de cada oferta, contrato de trabalho, além da oportunidade para esclarecer quaisquer dúvidas.

Num segundo momento, nesse mesmo dia, ocorrerá uma prova escrita de redação em inglês, além de uma breve entrevista individual com a entrega de currículos e fotos.

Requisitos para participar do Open Day:

  • idade mínima de 18 anos;
  • Altura suficiente para alcançar uma altura de 1,66 cm na ponta nos pés (sem sapatos) – para as vagas de Tripulantes;
  • boas condições físicas;
  • inglês fluente e Alemão ( preferencial)
  • disponibilidade de residir na Alemanha ou Polónia;

Aprovado no Open Day, o candidato seguirá para uma segunda e terceira etapa do processo seletivo, ambas realizadas pela Aviation Power com o apoio da SLOT

São cerca de 200 vagas, para várias posições na Aviação.

Para mais informações veja o evento.

 

Outras notícias




Contratos sem termo são regra no Lidl em Portugal

Desde o início de abril todos os novos contratos de trabalho no Lidl Portugal são sem termo. A empresa, que criará cerca de 850 novos postos de trabalho ao longo de 2017 aposta, através desta medida de reforço da estabilidade, mais uma vez, no desenvolvimento das condições de trabalho dos seus colaboradores.

Para o Lidl a aposta no estabelecimento de vínculos laborais e de relações profissionais estáveis funciona como acelerador do negócio e da sua competitividade. Os colaboradores têm voz, são também responsáveis pelo sucesso da empresa, percorrendo um caminho de desenvolvimento pessoal e profissional num ambiente internacional, diverso e com novos desafios todos os dias.

Em Portugal há 22 anos e atualmente com mais de 5.800 trabalhadores, o Lidl Portugal tem vindo a desenvolver um conjunto de medidas que privilegiam a valorização e o compromisso com os colaboradores, apostando na retenção de talento, na formação e no desenvolvimento de carreiras, a par da criação de condições de trabalho de excelência.

Reconhecendo que a estabilidade e as condições de trabalho dos colaboradores não são um custo, mas sim um investimento na sustentabilidade do negócio, o Lidl Portugal anuncia que desde o início de abril, todos os novos contratos de trabalho são sem termo. Os colaboradores com contrato a termo só existirão em situações pontuais, como a substituição devido a ausência prolongada ou reforço em picos de trabalho sazonais.

Com esta medida o Lidl Portugal reforça a sua estratégia global de captar e reter o melhor talento, desenvolvendo colaboradores empenhados, motivados e valorizados.

Outras notícias




Abertura de candidaturas para o programa de trainees Bright On da The Navigator Company

A The Navigator Company, líder europeia na produção de papéis finos de impressão não revestidos, tem abertas, até dia 23 de Abril, as inscrições para o seu renovado e aliciante Programa de Trainees Bright On.

Uma iniciativa que visa atrair, desenvolver e reter os melhores talentos entre os jovens recém mestrados, proporcionando-lhes um diferenciador período de experiência profissional internacional numa das divisões da Companhia num país estrangeiro, em locais tão diferentes como:

  • Amesterdão,
  • Colónia,
  • Genebra,
  • Londres,
  • Madrid,
  • Moscovo,
  • Paris,
  • Varsóvia,
  • Verona,
  • Viena,
  • Greenwood,
  • Norwalk,
  • Istambul,
  • Casablanca,
  • Maputo.

O Programa de Trainees Bright On faculta uma excelente oportunidade de entrada numa carreira de sucesso numa empresa líder no mercado internacional com presença nos cinco continentes e em mais de 130 países, proporcionando a aquisição de uma experiência transversal às diferentes áreas de negócio da Companhia num contexto verdadeiramente internacional.

Para além da experiência contínua on-the-job, será disponibilizado aos Trainees um plano de formação em sala, também de forma contínua, e a integração num programa de mentoring com profissionais seniores da Companhia. Este plano formativo é desenhado para acelerar a aprendizagem do candidato no negócio e desenvolver as suas competências de gestão, comportamentais e analíticas.

Refira-se que os candidatos devem ter o mestrado finalizado há menos de três anos, sendo dada preferência a alunos, fluentes em Português e Inglês, das áreas de Gestão, Economia, Marketing, Engenharia, entre outras.

As candidaturas estão abertas aqui.

 

 

Outras notícias




ComparaJá.pt procura responsável de RH

Conheça o processo de recrutamento de um responsável de Recursos Humanos, cargo que engloba a gestão das equipas europeiase de um Gestor de Produto e jovens talentos na área do Marketing de Conteúdos e da Consultoria Financeira.

A plataforma gratuita de simulação de produtos financeiros ComparaJá.pt tem em aberto um processo de recrutamento de um responsável de Recursos Humanos, cargo que engloba a gestão das equipas europeias dedicadas às diferentes declinações da marca a partir de Portugal. O portal, que recentemente lançou o primeiro comparador de Crédito à Habitação do nosso país, procura igualmente um Gestor de Produto e jovens talentos na área do Marketing de Conteúdos e da Consultoria Financeira.

Caraterizando-se como um agregador e comparador independente que oferece aos utilizadores a possibilidade de identificar e adquirir os produtos e serviços financeiros mais adequados para o seu perfil e necessidades, com poupanças significativas de tempo e dinheiro, o ComparaJá.pt conta atualmente com uma equipa de 30 profissionais, aos quais se juntam mais 60 colaboradores dedicados aos restantes mercados europeus em que marca presença.

Para além das competências técnicas inerentes às diferentes posições em aberto, para nós é essencial contar com profissionais que tenham uma grande capacidade de trabalho em equipa e que sejam resilientes sobre pressão. A fluência em inglês é um requisito obrigatório”, afirma Sérgio Pereira, diretor geral do ComparaJá.pt, acrescentado que “Tendo nós uma cultura muito focada na filosofia ‘work hard, play hard’, no ComparaJá.pt valorizamos também pessoas que partilhem desta forma de estar”.

Os interessados em candidatar-se às diferentes vagas devem consultar a página de recrutamento no site da empresa.

 

Outras notícias




TalkDesk abre escritório no Porto e recruta 100 colaboradores

A empresa portuguesa procura o melhor talento no mercado para consolidar áreas-chave do seu negócio: Engenharia, Vendas, Produto e Recursos Humanos

A TalkDesk, empresa líder no desenvolvimento de soluções de software para call centers, baseadas em cloud, acaba de anunciar a abertura de um novo escritório no Porto, importante para a expansão da empresa, que conta já com escritórios em Lisboa e São Francisco.

Para além da inauguração destas novas instalações, a TalkDesk irá recrutar, durante o ano de 2017, 100 colaboradores, que ficarão divididos entre Lisboa e Porto, juntando-se assim aos 250 funcionários que a empresa já possui, em Portugal e no estrangeiro.

Este reforço na contratação de recursos humanos visa desenvolver e consolidar áreas-chave da empresa nomeadamente Engenharia, mas também Vendas, Produto e Recursos Humanos. Nesse sentido, os perfis procurados são de back-end, front-end, full-stack, desenvolvimento de operações (DevOps), design de interface de utilizador (UI-UX), especialistas de dados, força de vendas, segurança, garantia de qualidade e gestão de produto.

Para Marco Costa, “2017 vai ser um ano de expansão muito importante para nós, em que o reforço dos recursos humanos é crucial e vai permitir acelerar o desenvolvimento do nosso produto”. “A abertura do escritório no Porto é um marco estratégico para continuarmos a crescer de forma sustentada ao longo deste ano”, salientou o diretor-geral da EMEA da Talkdesk.




EncontRHo: RECRUTalento 2017 - veja as conclusões desta iniciativa e fotos

O Hotel Tryp Aeroporto, em Lisboa, recebeu hoje mais uma edição do EncontRHos, evento da responsabilidade do IIRH – Instituto de Informação em Recursos Humanos. Com a sala esgotada, cerca de 130 profissionais estiveram reunidos sob o mote “RecruTalento 2017”.

Passando à temática propriamente dita do encontro, foi dada inicialmente a palavra a Tiago Pizarro Gonçalves, Head of Recrutiment da Jerónimo Martins, onde revelou aos presentes o que, na sua opinião, são os novos perfis de colaboradores para o futuro. «O recrutamento é um desafio», confessou ao início, sendo óbvio que a forma de recrutar tem tido transformações relevantes nos últimos anos. As diferentes gerações que coabitam no local de trabalho têm, também, diferentes expectativas e «só o perceber isto» permite interiorizar que «one size doesn’t fit all». Diferentes valores, diferentes formas de estar e logo aí o desafio é gigantesco, seja na forma de recrutar ou reter o talento. A geração mais nova – Geração Z – vai na opinião de Tiago Pizarro, procurar uma nova oportunidade profissional candidatando-se através do mobile, pelo que, na sua opinião, «as organizações têm de perceber que a forma de chegar a estas pessoas tem de ser bastante diferente».

De seguida, lugar para a mesa redonda sob a égide de “O caso particular dos profissionais de TI. Onde encontrar os talentos tecnológicos que a sua empresa precisa?”. Moderada por Maria Inês Domingues, Human Resources Manager / IT Senior Recruiter da ITSector; contou com a participação de Liliana Silva, Head of Recruitment Portugal da Zurich; Samuel Carapinha, diretor da Spring; e João Figueirinhas Costa, Senior Talent Acquisition Specialist da Uniplaces.

Maria Inês Domingues, ao iniciar a mesa redonda fez questão de afirmar que a área das TI tem crescido bastante e que isso se apresenta como um «desafio» não só pela «dificuldade de recrutamento, mas também pela dificuldade da retenção do talento».

Passada a palavra a Liliana Silva, tempo para a responsável enumerar algumas das estratégias da Zurich no campo do recrutamento digital, bem como alguns constrangimentos. Na sua opinião, o facto de aturam na área dos seguros, ainda vista como sendo de génese bastante tradicional pelos profissionais de TI, pode criar mais desafios para atrair e motivar os talentos.

Samuel Caparinha, responsável da Spring, empresa do Grupo Adecco, revelou um pouco do que têm feito para captar e aumentarem a sua pool de recursos na área, onde um dos desafios passa pelo problema da big data, com a existência de excesso de informação. Afirma Samuel Carapinha que, tendo em conta a sua experiência, os candidatos da área de TI – «onde há pleno emprego» – são dos que menos estão disponíveis para responder a novas solicitações, até pela crescente quantidade dessas mesmas solicitações de novos desafios que recebem.

Por parte da Uniplaces, João Figueirinhas Costa, abordando o prisma do contacto das empresas com as universidades, afirmou que tendo em conta a fase da própria Uniplaces, e o seu crescimento acelerado, não estão a considerar muitos perfis juniores. Isto porque, afirma, não têm a estrutura necessária para o ótimo acompanhamento dos recém-profissionais. Vão, sim, trabalhando em employer branding nas instituições de ensino para quando chegar outra fase da vida da empresa, e aí já serem reconhecidos como uma estrutura de primeira linha para a contratação de perfis tecnológicos.

Depois do coffee break, e decorrente networking, tempo para a apresentação de Carlos Figueiredo, diretor de Recursos Humanos da Unilever, com o mote de “Como reter o talento?”. E se a liderança tem tudo a ver com o talento, com a sua atração e retenção, «são pessoas como essas, com propósito, com uma intenção, com uma vontade, que nós precisamos nas organizações» para as fazerem progredir. Reter o talento passa, assim, pela estratégia e liderança, crescimento profissional e pessoal, o reconhecimento, o impacto que as pessoas podem ter na organização, a preocupação com o bem-estar das pessoas, «que naturalmente vai projetar-se numa maior produtividade, num maior nível de satisfação e no sucesso da própria empresa».

Os EncontRHos são organizados pelo IIRH – Instituto de Informação em Recursos Humanos, tendo esta edição tido o patrocínio da ITSector.

Veja, na próxima edição da RH Magazine a reportagem completa sobre o evento.

Veja as fotos:

 

 




Contratação para o segundo trimestre irá continuar a crescer

O ManpowerGroup Employment Outlook Survey para o segundo trimestre de 2017 revela que a contratação irá continuar a crescer, com as grandes empresas, o setor de finanças, seguros, imobiliário e serviços e a região sul do país a reportarem as projeções mais fortes para a criação líquida de emprego no período entre abril e junho.

  • A projeção para a criação líquida de emprego* em Portugal é de +10%, cinco pontos percentuais mais alta que no trimestre anterior;
  • Previsões positivas em todas as regiões e todos os setores de atividade;
  • A projeção para a criação líquida de emprego mais forte é feita pelos empregadores do setor de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços que reportam uma previsão de +19%;
  • Os empregadores do Sul do país preveem o volume de contratação mais forte do segundo trimestre (+12%);
  • Na comparação por dimensão, as Grandes empresas antecipam a maior projeção para a criação líquida de emprego, com uma previsão de +18%;
  • Em geral, é esperado que o emprego continue a crescer. A maior projeção é reportada em Taiwan (+24%), os empregadores do Brasil reportam as projeções mais baixas (-4%) para o segundo trimestre.

Os empregadores portugueses revelam intenções de contratação moderadamente otimistas para o período compreendido entre abril e junho de 2017. Com 12% a prever um aumento, 2% a antecipar uma redução e 81% a considerar que não haverá alterações. A projeção para a criação líquida de emprego situa-se nos 10%.

Os empregadores dos nove setores preveem um crescimento da contratação durante o segundo trimestre de 2017. A melhoria mais significativa é antecipada em Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços, setor no qual a projeção para a criação líquida de emprego é de 19%. Nos setores da Restauração e Hotelaria e da Agricultura, Florestas e Pescas é projetada uma subida de 16% e 15%, respetivamente. Os empregadores do setor do Comércio Grossista e Retalhista reportam perspetivas de contratação com valores assinaláveis, de 13% e no setor da Construção 12%. As perspetivas mais moderadas surgem dos setores da Indústria e Público com 2% e 4%, respetivamente.

Em comparação com o primeiro trimestre do ano, as intenções de contratação melhoram em sete dos nove setores. Os empregadores do setor de Finanças, Seguros, Imobiliário e Serviços reportam um aumento significativo de 18 pontos percentuais, enquanto a projeção para o setor de Fornecimento de Eletricidade, Gás e Água é de uma melhoria de 12 pontos percentuais. No setor da Construção, os empregadores reportam um aumento de 10 pontos percentuais, enquanto se prevê uma melhoria de 8 e 7 pontos percentuais respetivamente nos setores de Agricultura, Florestas e Pescas e de Comércio Grossista e Retalhista. Contudo, as perspetivas de contratação decrescem em dois setores, com maior relevância no setor de Transportes, Logística e Comunicações que desce quatro pontos percentuais.

“O Manpower Employment Outlook Survey projeta, para o segundo trimestre de 2017, que continuaremos a assistir a uma tendência positiva no mundo do trabalho em Portugal. A criação líquida de emprego vai aumentar 10%, o que certamente terá um efeito positivo no consumo privado, com impacto direto na economia nacional. Se a esta projeção, juntarmos a análise ao comportamento das taxas de juro comunicadas pelo Banco Central Europeu, podemos esperar que exista um efeito positivo no crescimento do nosso Produto Interno Bruto”

Refere Nuno Gameiro, Country Manager da ManpowerGroup Portugal.

Saiba mais do estudo aqui

 

Outras notícias




Retenção de talentos de Portugal para o Mundo!

Uma empresa com 4 Centros de Desenvolvimento de Tecnologias que administra mais de 400 trabalhadores em todo o mundo! Tudo a partir de Portugal.

 

A política de investimentos da ITSector, consubstanciada na abertura de Centros de Desenvolvimento de Tecnologias Avançadas em Portugal e no consequente reforço da capacidade de produção em regime de Nearshore, está a determinar a conquista de novos mercados e estratégia de expansão da empresa.

Com a recente abertura em Aveiro, em dezembro último, do seu 4º Centro de Desenvolvimento em território nacional (somando-se aos de que já dispõe no Porto, Lisboa e Braga) a tecnológica especialista no desenvolvimento de Software com forte incidência no sector financeiro, prevê ultrapassar os 400 colaboradores até ao final do 1º semestre de 2017, bem como aumentar a sua capacidade de produção.

Atualmente, a partir de Portugal, a empresa afeta, em exclusivo, mais de 100 colaboradores à prestação de serviços para países terceiros, tendo concluído, no último ano, mais de 200 projetos para clientes oriundos de países de geografias tão diversas como Inglaterra, França, Luxemburgo, Itália, Rússia, Islândia, Alemanha, Dinamarca, Timor-Leste, Quénia e África do Sul.

Paralelamente, no que respeita à gestão dos Recursos Humanos, a empresa tem enfrentado com sucesso o desafio da retenção de talentos na área de TI, fenómeno que é hoje evidente a nível mundial.

“O setor tecnológico é, cada vez mais, extremamente competitivo e com a escassez de recursos na área e a

8qualidade dos recursos humanos que temos em Portugal, é natural que os colaboradores sejam constantemente abordados por empresas nacionais e internacionais. Em Portugal, o fenómeno de rotatividade de pessoas nas organizações – o turnover – é efetivamente alto, pois também no nosso país estamos a assistir a uma mudança cultural do mundo do trabalho, em que deixaram de existir os “empregos para a vida”.

“Na ITSector, apesar do turnover ser inferior à média das empresas de TI nacionais, sabemos que temos de estar permanentemente atentos às nossas pessoas, ao mercado e às necessidades de ambos. Esse é o nosso desafio diário”,

 

Revela Maria Inês Domingues, diretora de RH da ITSector.

A mesma responsável desvenda algumas das estratégias que a empresa tem delineado para atrair e reter os seus melhores talentos:

“Anualmente revemos e implementamos um Plano Estratégico de Recursos Humanos que é apresentado a toda a organização, com o objetivo de atrair e reter o talento, que neste momento são os grandes objetivos. Este plano passa por uma maior valorização da fase de acolhimento e integração na empresa, atenção redobrada às necessidades das pessoas, respeitando o seu ritmo, complementado com a entrega de kits cada vez mais atrativos e que promovam a identificação com a empresa. Investimos internamente em iniciativas de employer branding como os Happy hours mensais; fazemos um grande investimento na formação e acompanhamento individualizado dos nossos colegas para que estejam sempre preparados para novos desafios; promovemos iniciativas de caracter solidário e desportivo. Mas o segredo continua a ser a cultura de proximidade entre todos, em que adotamos uma postura de verdadeira recetividade às sugestões dos nossos colaboradores, promovendo e valorizando as suas ideias e sugestões e é neste sentido, com esta base sólida de confiança, integridade e lealdade, que queremos continuar a crescer de forma devidamente sustentada”.

Fundada em 2005, na cidade do Porto, a ITSector está presente em Portugal, Polónia, Reino Unido, Angola, Moçambique e agora também no Quénia e brevemente em Berlim.

 

Outras notícias




Tem uma das funções mais procuradas em 2017?

De acordo com a edição deste ano do Guia Laboral da Hays com base em inquéritos realizados junto de mais de 840 empregadores e cerca de 2600 profissionais, e pela primeira vez desde que são efetuados estes inquéritos, a percentagem de empregadores que querem contratar (73%) ultrapassou a de profissionais que pretendem mudar de emprego (71%).

 

Os perfis comerciais, de engenharia e de tecnologias da informação ocupam os lugares cimeiros nas prioridades de recrutamento para este ano.

Perfis mais procurados:

 

79% das empresas revelam já dificuldades em recrutar talento, sendo que mais de metade destas empresas tiveram de optar por contratar pessoas pouco adequadas às suas necessidades. Em 22% dos casos, esta dificuldade levou mesmo a algum tipo de quebra nos resultados do negócio.

Competências mais procuradas:

 

Outras notícias: