Contratos sem termo são regra no Lidl em Portugal

Desde o início de abril todos os novos contratos de trabalho no Lidl Portugal são sem termo. A empresa, que criará cerca de 850 novos postos de trabalho ao longo de 2017 aposta, através desta medida de reforço da estabilidade, mais uma vez, no desenvolvimento das condições de trabalho dos seus colaboradores.

Para o Lidl a aposta no estabelecimento de vínculos laborais e de relações profissionais estáveis funciona como acelerador do negócio e da sua competitividade. Os colaboradores têm voz, são também responsáveis pelo sucesso da empresa, percorrendo um caminho de desenvolvimento pessoal e profissional num ambiente internacional, diverso e com novos desafios todos os dias.

Em Portugal há 22 anos e atualmente com mais de 5.800 trabalhadores, o Lidl Portugal tem vindo a desenvolver um conjunto de medidas que privilegiam a valorização e o compromisso com os colaboradores, apostando na retenção de talento, na formação e no desenvolvimento de carreiras, a par da criação de condições de trabalho de excelência.

Reconhecendo que a estabilidade e as condições de trabalho dos colaboradores não são um custo, mas sim um investimento na sustentabilidade do negócio, o Lidl Portugal anuncia que desde o início de abril, todos os novos contratos de trabalho são sem termo. Os colaboradores com contrato a termo só existirão em situações pontuais, como a substituição devido a ausência prolongada ou reforço em picos de trabalho sazonais.

Com esta medida o Lidl Portugal reforça a sua estratégia global de captar e reter o melhor talento, desenvolvendo colaboradores empenhados, motivados e valorizados.

Outras notícias




Nova parceria com objetivo de potenciar a competitividade das organizações

Baker Tilly e a Flexben®, revelam parceria relativa ao planeamento e otimização de benefícios e compensações remuneratórios, visando potenciar a competitividade das organizações.

 

Esta parceria pretende aliar o know-how dos nossos consultores fiscais à plataforma desenvolvida pela Flexben®.
A plataforma Flexben® é ideal para a implementação de planos de benefícios sociais flexíveis.  A gestão dos benefícios e compensações através da plataforma desenvolvida pela Flexben® permite conciliar as vantagens financeiras e fiscais para a empresa e para os colaboradores, com uma redução significativa do esforço do departamento dos recursos humanos.

Conheça aqui mais sobre a parceria e os serviços para as empresas.

Outras notícias




Euroticket lança novo Benefício Club com descontos na Repsol

O Beneficio Club, lançado agora para todos os utilizadores do cartão Euroticket é o novo clube premium com vantagens exclusivas para todos os utilizadores do Euroticket facilmente acessível através da plataforma www.beneficioclub.pt, disponível a todo momento e em qualquer lugar.

Os 350.000 utilizadores do Euroticket vão ter acesso a diversas ofertas, descontos, promoções de um leque abrangente de marcas na área do desporto, moda, eletrónica, viagens, saúde, entre outras. Para além disto, é uma plataforma intuitiva com geolocalização e adaptada a todos os dispositivos móveis.

E as vantagens anunciadas não ficam por aqui. Porque é de parcerias fortes que o líder de mercado se diferencia e posiciona para dar mais ofertas aos seus clientes e utilizadores, a Edenred (empresa proprietária do Euroticket) estabeleceu uma parceria com a Repsol. Esta parceria permite dar exclusivamente aos utilizadores Euroticket um desconto direto de 5 cêntimos por litro em combustível (válida em Portugal Continental e Região Autónoma da Madeira). Para usufruírem deste desconto, basta apresentarem o cartão Euroticket nos postos de abastecimento aderentes.

Enquanto líderes de mercado é importante estarmos na vanguarda e percebermos as exigências dos nossos utilizadores e clientes. Além do programa Euroticket Mais, agora também com o Beneficio Club e a parceria Repsol continuamos a inovar e agregar ainda mais valor à nossa oferta. Apostamos cada vez mais em soluções diferenciadoras e que façam jus à nossa posição de liderança de mercado nacional e internacional – indica Mauro Borochovicius, Diretor Geral da Edenred Portugal.

 

Outras notícias que podem ser do seu interesse




SGF com nova administração

A SGF – Sociedade Gestora de Fundos de Pensões S.A., gestora de referência neste mercado, tem uma nova administração, que se propõe dinamizar a sua atividade em 2017.

A crescente consciencialização dos portugueses para a necessidade de poupar para a reforma bem como o destaque que as Sociedades Gestoras independentes vêm ganhando neste mercado, dada a sua credibilidade e ausência de conflitos de interesses, leva a nova Administração da SGF a acreditar que a empresa está bem posicionada para aproveitar esta oportunidade estratégica pelo que as suas perspetivas de futuro são otimistas.

A SGF oferece uma gama de produtos – Fundos de Pensões e Planos de Poupança Reforma – que se adequam a diferentes necessidades alinhadas com os diversos perfis dos clientes, procurando assegurar a proteção futura da sua qualidade de vida.

Segundo António Amaral, Administrador da SGF,

a estratégia foi reformulada e espera-se atingir, a curto prazo, uma carteira superior a 100 milhões de euros”.

Acrescenta ainda que

queremos posicionar a empresa como a maior sociedade gestora de Fundos de Pensões independente. Para isso, estabelecemos uma parceria de consultoria na gestão de patrimónios com a Golden Assets, e passámos a contar com uma equipa muito alargada na área de gestão de ativos adotando uma política de investimentos diversificada, prudente e com uma visão de longo prazo que pensamos ser a mais adequada para garantir uma gestão profissional e rigorosa, adequada ao perfil de risco de cada Cliente”.

 

Mais informações aqui

 

Outras notícias que podem ser do seu interesse:




Aumento do Valor de Subsídio de Refeição Isento de Impostos

O Euroticket, líder de mercado em Portugal, promove o aumento do subsídio de refeição até 7,23€/dia totalmente isento de impostos.

 

O Euroticket, promove o aumento do subsídio de refeição até 7,23€/dia totalmente isento de impostos.

Na sequência da publicação em Diário da República relativo ao Orçamento de Estado 2017, o valor de subsídio de refeição isento quando pago em título refeição aumentou dos 6,83€ para os 7,23€/dia. Esta é uma excelente altura para aumentar o subsídio de refeição dos colaboradores, totalmente isento de impostos.

Paralelamente e fazendo jus ao seu pioneirismo, ao seu compromisso em potenciar o aumento de poder de compra dos beneficiários e em ter as melhores soluções para a poupança das empresas clientes, o Euroticket está a preparar mais novidades para este ano!

Com mais de 300.000 beneficiários em Portugal, o Euroticket além de disponibilizar acesso a descontos exclusivos em restaurantes com o programa Euroticket Mais, em breve apresentará um novo clube premium com uma grande diversidade de vantagens e ofertas únicas em diferentes áreas.

O Euroticket destaca-se cada vez mais no seu posicionamento de líder de mercado. Existe uma grande preocupação em acompanhar as tendências de consumo, estar lado a lado com a evolução digital e disponibilizar serviços que elevem o poder de compra dos beneficiários, com uma oferta diferenciada – indica Mauro Borochovicius, Diretor Geral da Edenred Portugal.

Faça já a sua simulação, e veja o quanto a sua empresa e os seus colaboradores podem poupar anualmente.

Saiba mais em euroticket.pt

Outras notícias que podem ser do seu interesse:

Artigo: A psicologia do penalti:  7 lições para a liderança das organizações

Sabe qual é a prioridade para os diretores de recursos humanos em Portugal?

6 tendências tecnológicas que as PME devem seguir em 2017




Simule o que a sua empresa pode poupar com o TICKET RESTAURANT®

O Ticket Restaurant® está disponível em duas opções, cartão electrónico e vale, é um meio de pagamento que permite às empresas subsidiarem as despesas de alimentação dos seus colaboradores. Quando atribuídos em Ticket Restaurant®, os subsídios de refeição têm uma economia fiscal de 60% face ao pagamento em dinheiro e permitem uma completa liberdade de utilização em milhares de estabelecimentos alimentares aderentes.

AO ATRIBUIR TICKET RESTAURANT® AOS SEUS COLABORADORES:

  • Assegura uma alimentação adequada.
  • Contribuiu para o seu bem-estar físico e psicológico.
  • Possibilita o aumento de produtividade.
  • Aumenta o salário líquido sem encargos sociais.

VANTAGENS FISCAIS

  • TSU Isenção total para as empresas e colaboradores até 7.23€ / dia
  • IRS Isenção até ao limite de 7.23€ / dia
  • IRC Custos a 100%.

Calcule a poupança fiscal para a sua empresa e colaboradores, no simulador da Ticket.

SIMULAR

Para mais informações: http://www.ticket.pt/tickets


Veja outros artigos de interesse:



Simulador: veja quanto pouparia com a utilização dum cartão refeição

Os novos limites de isenção fiscal nos vales e cartões de refeição previstos no OE 2017 vão permitir às empresas e aos trabalhadores uma poupança substancial de TSU e IRS.

Uma empresa com 10 trabalhadores vai poder reduzir mais de 4 mil euros por ano nos seus encargos com pessoal.
De acordo com uma simulação da SODEXO, multinacional especializada em serviços de qualidade de vida, uma empresa com 10 trabalhadores pode reduzir os seus encargos, com a utilização do cartão refeição no limite máximo de 7,23 euros por dia, até 4 155 euros por ano, um aumento de 229 euros anuais em relação ao regime em vigor até 2016 (base: 22 dias úteis/11 meses | taxa média IRS 23%).

 

Poupança para a empresa e para o colaborador

No mesmo cenário, os colaboradores, através da isenção total de TSU e IRS, beneficiam de um acréscimo de poder de compra que em 2017 pode chegar, com cartão refeição, aos 595 euros por colaborador.
Este valor pode ainda ser incrementado no segundo semestre, uma vez que está prevista nova actualização dos limites de isenção a partir de Junho de 2017.

Esta e outras simulações podem ser realizadas na ferramenta que a Sodexo disponibiliza em http://www.sodexobeneficios.pt/, a qual, de forma simples e rápida, permite calcular a poupança fiscal tanto para empresas como para colaboradores.
Desde 2012, o Orçamento do Estado atribui um benefício fiscal ao pagamento do subsídio de refeição em cartão. Se for pago em dinheiro, o subsídio passa em 2017 a estar isento de impostos e segurança Social até 4,52 euros por dia. Se for pago em cartão, esse limite de isenção passa para 7,23 euros. Esta diferenciação positiva, favorável à titularização do subsídio de refeição e que vem reforçar o seu importante carácter social, faz prever um crescimento sustentado da utilização do cartão refeição pelas empresas, que abrange actualmente cerca de metade do universo empresarial.

 

Outras notícias que podem ser do seu interesse:

http://inforh.pt/direito-desligar-do-trabalho-pode-vir-implementado-portugal/

http://inforh.pt/atual-conheca-as-tendencias-do-mercado-laboral-2017/

http://inforh.pt/inteligencia-artificial-o-que-ela-pode-fazer/




Quais os empregos mais bem pagos?

Quando se pensa no mercado de trabalho, pensamos logo em quais serão os empregos mais bem pagos? Esta dúvida foi respondida através de um estudo realizado pela rede LinkedIn.

Esta rede social de negócios, concluiu que os primeiros salários para os jovens que acabaram de sair da universidade subiram mais de 3% em 2016 nos EUA, para uma média de 52 569 mil dólares (36 534 mil euros) por ano. Empresas como a Deloitte, a Ernst & Young, a Accenture e a PwC são conhecidas por estarem dispostas a pagar salários tão elevados em inícios de carreira.

Pode ver na listagem que trabalhos são e que valores apresentam no estrangeiro. Os valores estão longe de serem praticados em Portugal mas a carreira internacional é cada vez mais uma possibilidade.

São eles:

Engenheiro de software: responsável por desenvolver os sistemas de software das empresas.
Média salarial, 55 mil euros por ano

Consultor: Responsável por resolver necessidades dos clientes e é um excelente negociador.
Média salarial, 50 mil euros por ano

Responsável pelo serviço de apoio ao cliente: Responsável pelo atendimento ao cliente de uma determinada empresa.
Média salarial, 24 mil euros por ano

Analista bancário: Responsável por colaborar no processo de análise de clientes de um banco e mantém uma próxima relação com vários departamentos.
Média salarial, 59 mil euros por ano

Staff accountant: Responsável pelas finanças de um departamento de contabilidade.
Média salarial, 34 mil euros por ano

Assistente administrativo: Responsável pelo apoio na área de gestão de empresas, focado especialmente na administração financeira, processos operacionais e logística.
Média salarial, 27 mil euros por ano

Recrutador: Responsável por procurar profissionais talentosos numa determinada área.
Média salarial, 27 mil euros por ano

Gestor de contas: Responsável pelo atendimento de determinados clientes.
Média salarial, 34 mil euros por ano

Analista de negócios: procura oportunidades de negócio, analisa tendências, cria novos produtos e melhora alguns já existentes. Preocupado em encontrar novos caminhos para a empresa.
Média salarial, 41 mil euros por ano

Designer gráfico: Responsável por programar, projetar e organizar vários elementos com o objetivo de produzir imagens destinadas a comunicar de forma focada em objetivos e públicos.

Fonte: site delas.




AIDPLAN lança em Portugal novo Fringe Benefit

A AIDPLAN lançou em Portugal um produto único e inovador: uma Plataforma que disponibiliza aos seus beneficiários um Diretório de Advogados e Contabilistas Certificados, para os assistir nos assuntos de natureza jurídico-legal e contabilidade.

O objetivo é que este serviço, que os isenta de quaisquer custos com honorários, integre o conjunto de fringe benefits atribuído pelas empresas aos seus colaboradores e membros dos órgãos sociais, no âmbito do apoio jurídico-legal e de contabilidade certificada. Este serviço deverá funcionar como um motivador pessoal que estimule melhores desempenhos e aprofunde a ligação entre as pessoas e a organização.

A assistência jurídico-legal prestada pelos Advogados que aderiram à Plataforma cobre tanto a litigância como o aconselhamento, com uma larga abrangência em várias áreas, tais como:

  • FAMÍLIA – casamentos, divórcios, regulação do poder parental, adoção, inventários, doações, testamentos, entre outros.
  • IMÓVEIS – arrendamentos, trespasses, compra e venda, escrituras públicas ou quaisquer outros actos jurídicos similares, condomínio, entre outros.
  • PATRIMÓNIO/FINANÇAS – contratos, cobranças e regularização de dívidas, tributação sobre o rendimento, capital e património, entre outros.
  • VEÍCULOS – contraordenações, acidentes, seguros, oficinas, registos, entre outros.
  • CONSUMO – banca, viagens, compras, vendas à distância e ao domicílio, incumprimento dos prazos de garantia dos bens, procedimentos ilegais relacionados com a gestão de cobranças, entre outros.
  • COMERCIAL – contratos, sociedades e outras entidades colectivas, insolvências, cobrança de dívidas, títulos de crédito, licenciamentos, entre outros.
  • PROPRIEDADE INTELECTUAL – marca e logótipos, modelos, patentes, direitos de autor, entre outros.
  • CONTENCIOSO – família, civil, administrativo, tributário, arbitragem, comercial, criminal (apenas quando o Beneficiário seja ofendido), entre outros.

 

Para mais informações: www.aid-plan.com/pt

 




Conferência Anual da Ordem dos Economistas premeia tese que analisa os preços e os salários em Portugal

Prémio foi entregue na 12ª Conferência Anual da Ordem dos Economistas sobre o Orçamento do Estado para 2017 e premiou o aluno Fernando Martins. 

O economista Fernando Martins recebeu o prémio António Simões Lopes, melhor Tese de Doutoramento com um trabalho na área da economia. O trabalho analisa as origens e implicações da rigidez nominal de preços e salários em Portugal.

Em termos de definição de preços, os resultados da tese mostram que o grau de rigidez dos mesmos varia substancialmente entre os diversos setores. Pelo contrário, os ajustamentos salariais são definidos pelo quadro institucional em que decorrem as negociações: as empresas mais afetadas pelas alterações salariais, reduzem significativamente as contratações, levando a taxas de destruição de emprego consideráveis.

A tese mostra igualmente que, num contexto em que as alterações dos salários base são legalmente proibidas, a disponibilidade de componentes de remuneração (bónus, benefícios, promoções…) que podem ser congeladas ou reduzidas em circunstâncias adversas, contribui para compensar o impacto negative sobre o emprego.

O Júri do prémio António Simões Lopes é constituído por 6 elementos: Bastonário da Ordem dos Economistas (Presidente do Júri), por um Membro da Direção da Ordem dos Economistas, por dois elementos designados pela PwC e por dois representantes das instituições de ensino superior (nesta edição, o ISEG da Universidade de Lisboa e a Universidade do Minho).

Este Prémio visa distinguir a melhor tese de doutoramento na área das Ciências Económicas e Empresariais, aprovadas em provas públicas realizadas nas Universidades Portuguesas.