Fórum RH 2017: veja as fotos!!!

A 23.ª edição do Fórum RH, que decorreu na passada terça-feira, dia 16 de maio, no Estádio do Sport Lisboa e Benfica, revelou-se como mais um grande sucesso.

Evento que é referência para os responsáveis de recursos humanos, teve este ano Cathy O’Dowd como keynote speeker. A alpinista sul-africana, primeira mulher a subir ao Everest pelas duas faces, fez as maravilhas da assistência com uma intervenção sobre o tema “Doing what has never been done before”.

Durante o dia, e ao longo de 14 mesas redondas, que tiveram lugar nas duas salas do evento, foram abordados temas como a felicidade e bem-estar nas organizações, formação, recrutamento, employer branding, transformação digital, equipas multigeracionais e multiculturais, engagement, captação e retenção, entre muitos outros. Espaços de reflexão que foram, também, intercalados com importantes momentos de networking, sempre essenciais em qualquer que seja a área de negócio. No final do dia, uma pequena surpresa com a intervenção do treinador da equipa principal do Sport Lisboa e Benfica, Rui Vitória, que revelou um pouco da sua experiência na gestão de um grupo multicultural, como é o caso de um plantel de profissionais de futebol, e das dificuldades de comunicação que, por vezes, surgem no dia-a-dia.

Veja a reportagem completa na próxima edição da RHmagazine – edição de julho/agosto.

 




Católica Lisbon School of Business & Economics consolida a sua posição de liderança

A Católica Lisbon School of Business & Economics consolidou a sua posição de liderança, já que volta a ser a única Escola Portuguesa a estar entre os Top 20 Europeus presentes no Ranking Global do Financial Times para a área da Formação de Executivos.

  • CATÓLICA-LISBON volta a destacar-se dentro do Top 50 do Ranking Global do Financial Times para a área de Formação de Executivos (43ª posição), o que acontece pelo 11º ano consecutivo, reforçando a presença no Top 20 das melhores escolas europeias;
  • A CATÓLICA-LISBON é a escola mais internacional do país e uma das 10 mais internacionais da Europa. Para estes resultados contribuem a avaliação em termos de número de programas, participantes e clientes internacionais, bem como as parcerias estabelecidas com Escolas de referência a nível global.
  • Com mais de 100 programas realizados por ano, e uma presença nos 4 Continentes, a CATÓLICA-LISBON é destacadamente a escola líder em Portugal na Formação de Executivos.

 Neste Ranking Global do Financial Times, onde competem milhares de escolas, a CATÓLICA-LISBON está na 43º posição a nível mundial, voltando a destacar-se dentro do Top 50 das melhores escolas do mundo.

 “A consolidação da liderança da CATÓLICA-LISBON no Ranking Global do Financial Times para a Formação de Executivos é, para nós, um motivo de grande orgulho, mas acima de tudo é um reconhecimento pelas nossas empresas parceiras e pelos nossos alunos da relevância e valor que caracterizam a nossa oferta formativa. Este resultado reflete igualmente a nossa forte aposta na internacionalização, cada vez mais um pilar crítico de afirmação da escola”

Afirma Francisco Veloso, Dean da CATÓLICA-LISBON.

Entre os critérios que contribuem para este resultado, destacam-se as parcerias estabelecidas com Escolas internacionais de referência como a Kellogg School of Management, MIT, Carnegie Mellon University, Bocconi University, Fundação Dom Cabral ou a Cheung Kong Graduate School of Business (CKGSB).

 

Outras notícias




Porto Business School está entre as escolas melhores do mundo

Pelo 7.º ano consecutivo a Porto Business School volta a marcar lugar entre as melhores escolas de negócio do mundo e reforça a sua posição em Open Executive Education, de acordo com o último Executive Education ranking do Financial Times.

A Porto Business School conquista mais uma posição em Formação para Executivos (Open), passando de 70º lugar para a 69ª posição, ranking onde também figura como a 5ª melhor do mundo (e a n.º 1 em Portugal) na categoria “Partner Schools”, que avalia a qualidade dos programas realizados em parceria com outras escolas de negócios. Já na categoria de Custom Executive Education, a Porto Business School passa a ocupar o 75º lugar

Estes resultados confirmam o caminho que a Porto Business School tem vindo a percorrer, primando pela qualidade da sua oferta formativa, pela sua forte proximidade ao tecido empresarial mas também pelas parcerias internacionais que tem vindo a desenvolver. De facto, duas das dez escolas que encabeçam este ranking –IMD (escola n.º 1 em Open Executive Education) e London Business School (n.º 4 no ranking global) – são parceiras da Porto Business School em alguns dos programas que compõem a oferta da escola.   

“A aposta em parcerias com as melhores instituições, a nível mundial, permitem à Porto Business School trazer para os seus programas as últimas tendências e os temas de presente e de futuro para a gestão. O reconhecimento da Porto Business School neste âmbito é reflexo da concretização da nossa estratégia de crescimento e internacionalizacao, bem como, do nosso objetivo de ter impacto e criar valor nas organizações.”

Refere Ramon O’Callaghan, dean da Porto Business School.

 

Outras notícias




Novo curso em Gestão de Recursos Humanos

Fórmula do Talento leva a cabo curso sobre “Os Desafios da Gestão de Recursos Humanos” com 4 formadores de referência.

Tempos diferentes, de mudanças constantes, exigem novas abordagens na gestão de recursos humanos das empresas.
A Fórmula do Talento desafia todos os interessados a irem conhecer e frequentar o curso “Os Desafios da Gestão de Recursos Humanos”. Este curso terá a duração de 3 dias e decorrerá nos meses de maio e junho. Será coordenado por Luís Marques, Diretor Geral da Fórmula do Talento, que além de lecionar há vários anos matérias relacionadas com este tema, criou e desenvolveu a função de Recursos Humanos numa empresa multinacional de origem portuguesa.

O curso conta com 4 formadores:

Catarina Oliveira, 16 anos numa grande organização de origem portuguesa mas com atuação a nível internacional. Lá passei por áreas financeiras e de sistemas de Informação, geri projetos envolvendo equipas internacionais, mas foi nos Recursos Humanos que encontrei a minha paixão.

 

Luís Marques, 15 anos no Exército e 18 anos na Sonae Sierra proporcionaram-me experiências únicas e irrepetíveis e moldaram o meu carácter. 16 anos como professor consolidaram a minha permanente vontade em aprender e aprofundar conhecimentos.

Leonor Brito, reúno 23 anos de experiência ligada a empresas de consultoria nas áreas de Gestão de Recursos Humanos, 10 dos quais desempenhando funções ligadas à Direção de Recursos Humanos e os restantes 13 na Direção Comercial e como Responsável por Unidades de Negócio.

Carlos Fiqueiredo, mais de 28 anos de experiência na área dos Recursos Humanos e 15 anos na área jurídica, muitos dos quais como membro do Conselho Executivo, em que tive oportunidade de crescer e desenvolver-me ao lado de uma grande organização.

Data de realização: 23 de maio, 30 de maio e 8 de junho
Duração: 3 dias
Horário: 09h00-18h00
Local: Espaço Restelo, Lisboa

Conheça o programa completo e os formadores aqui.
Poderá inscrever-se neste curso aqui.

 

Outras notícias




Certificação Internacional 70:20:10 Expert Programme

Orientada a pensar no futuro dos profissionais de formação e desenvolvimento e que propõe uma abordagem assente no referencial 70:20:10 que tem como objetivo explorar de forma integrada 100% do potencial de aprendizagem.

  • Programa de desenvolvimento profissional pretende assegurar que a aprendizagem e a performance das empresas acompanham as exigências e a velocidade dos negócios
  • Curso tem como base o referencial 70:20:10 que explora 100% do potencial de aprendizagem de um indivíduo, equipa ou organização.

A CEGOC, empresa internacional líder em formação profissional, acaba de lançar a Certificação Internacional “70:20:10 Expert Programme”

O referencial 70:20:10 baseia-se na constatação de que as nossas aprendizagens mais significativas são realizadas sobretudo através da prática em contexto real de trabalho (70%) e do contacto com outras pessoas pela partilha de boas práticas, perspetivas e experiências ou pelo apoio e acompanhamento daqueles que nos podem “orientar” – aprendizagem social (20%). Complementado com o impacto da aprendizagem formal (10%), este modelo permite assim explorar de forma integrada os 100% do potencial de aprendizagem e desenvolvimento de um indivíduo, de uma equipa e de uma organização.

Este programa de desenvolvimento profissional, com a duração de 6 meses, é composto por uma sessão introdutória online síncrona liderada por Charles Jennings e 2 Workshops de 2 dias e meio com especialistas mundiais (35 horas de formação), para adequação das práticas do departamento de Recursos Humanos e de L&D ao referencial 70:20:10. Os participantes do programa terão a oportunidade de construir um case study da sua própria organização como base de exploração do referencial 70:20:10.

Perante um novo contexto global é fundamental pensar e agir diferente

Ninguém pode ignorar as mudanças estruturais que estão a acontecer no mundo e no mercado de trabalho que são profundamente marcadas por novas tecnologias e serviços, novas formas de comunicar e trabalhar de forma colaborativa, clientes e colaboradores com novas expectativas e novas ambições. Este contexto traz desafios incontornáveis que obrigam as organizações a pensar e agir de forma diferente.

Perante a necessidade de acompanhar a mudança, os responsáveis de desenvolvimento têm de dar apoio e suporte à aprendizagem e à melhoria constante da performance das pessoas. Em todo o mundo, os profissionais de L&D (Learning & Development) estão a adotar o referencial 70:20:10 para expandir a gama de serviços que oferecem aos seus business partners e para aumentar o seu impacto nos resultados das suas organizações, assegurando que a aprendizagem e a performance acompanham as exigências e a velocidade dos negócios.

Num mundo em constante mudança, o referencial 70:20:10 está a criar um novo futuro para os responsáveis de formação e desenvolvimento, contribuindo para que esta função reforce a sua relevância para a performance das organizações.

A quem se destina?

Orientada para profissionais de Recursos Humanos, Formação & Desenvolvimento (Learning & Development) e gestores de formação responsáveis pela aprendizagem organizacional e profissionais envolvidos na capacitação e desenvolvimento de pessoas, esta formação, através da abordagem 70:20:10, promove a extensão do âmbito do desenvolvimento de competências para além da sala de formação e das sessões de formação e-Learning.

Mais informação sobre o curso aqui.

Outras notícias




6 Medidas para criar uma cultura de autodesenvolvimento permanente nos seus colaboradores

No contexto de gestão de tempo o autodesenvolvimento é uma atividade do quadrante “muito importante” mas “pouco urgente”.


Autor: João Nogueira Santos
Cofounder & CEO Learninghubz

Sabemos que as atividades com esta tipologia devem ser agendadas e terem tempo protegido de distrações, caso contrário, acabam por ser sistematicamente preteridas por atividades mais urgentes.

Na formação em sala o problema da gestão de tempo não se coloca: há sempre um agendamento e um local próprio para a sua realização.

Já na nova realidade do autodesenvolvimento baseado em recursos de eLearning internos ou on-line, o problema é real e evidente: não há agendamento e para agravar o problema, estes recursos estão acessíveis através do computador, tablet ou smartphone, onde precisamente os colaboradores são alertados permanentemente para tarefas urgentes e distrações.

Nas organizações mais bem sucedidas na criação de uma cultura de autodesenvolvimento, é claro para todos os colaboradores e lideranças que estes devem planear na sua agenda um espaço de tempo dedicado e protegido de “distrações” para foco no seu desenvolvimento, e que essa reserva de tempo e foco faz parte do seu job description. E na sua organização?

6 Medidas para criar uma cultura de autodesenvolvimento permanente.

  1. Oferecer acesso a recursos eLearning (internos e on-line) de qualidade que respondam a um largo espectro de necessidades de desenvolvimento dos colaboradores. Dar acesso ao Youtube, Coursera e outros MOOCs dentro da empresa é um passo essencial.
  2. Instruir colaboradores a reservarem um período de tempo da sua agenda para autoformação explicando-lhes que é esperado destes uma atitude proactiva na identificação das suas necessidades de formação e dedicação de tempo para o seu autodesenvolvimento.
  3. Convidar a chefias para fazer coaching de autodesenvolvimento: identificar necessidades de formação dos seus colaboradores, recomendar recursos formativos, reservar-lhes tempo para o seu autodesenvolvimento.
  4. Promover regularmente através de newsletters ou outros meios de comunicação interna os recursos para autodesenvolvimento disponibilizados pela empresa, incentivando uma atitude proactiva na formação. 
  5. Estabelecer um KPI de formação de tempo para autodesenvolvimento (ex: 35h/ano). Os KPIs clarificam o que é esperado do colaborador ajudando-o a gerir as suas prioridades.
  6. Envolver top management na promoção ativa de uma learning culture. A liderança tem um papel fundamental na comunicação e gestão da mudança.

 

Outras notícias




15.000 horas de formação gratuita

São 15.000 Horas gratuitas, divididas por 400 Unidades de Formação de Curta Duração, a nível nacional, e destinadas a 9000 candidatos

 

  • Para cidadãos ativos com idade igual ou superior a 18 anos que pretendam uma integração ou progressão no mercado de trabalho mais qualificada.

 

No âmbito do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE), do PT2020, o ISQ acaba de ter aprovação para formar cerca de 9.000 empregados. Esta formação será totalmente gratuita e administrada em 400 Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) a nível nacional. No total serão 15.000 horas de aprendizagem, que estarão disponíveis nas principais regiões do país, que se iniciaram em abril de 2017 e vão decorrer até maio de 2018, e que contribuirão para um aumento dos níveis de qualificação profissional.

 

As 400 UFCD estarão disponíveis no catálogo online do ISQ, sendo que qualquer indivíduo – desde que seja maior e cidadão ativo – se poderá candidatar sem qualquer custo. As áreas de formação variam entre: Eletricidade e Energia, Eletrónica e Automação, Metalurgia e Metalomecânica, Higiene e Segurança,  Gestão e Administração, Comércio e Qualidade.

 

As ações de formação decorrerão por todo o País, nomeadamente nas regiões Norte, Centro e Alentejo. Nos concelhos de Sines, Beja, Évora, Grândola, Santarém e Portalegre (Alentejo); Leiria, Coimbra, Pombal, Torres Novas, Castelo Branco, Fátima, Tomar, Aveiro, Guarda e Viseu (Centro); Vila Nova de Gaia, Guimarães e São João da Madeira (Norte).

 

“O ISQ, dando continuidade à sua missão de valorização das Pessoas, através da qualificação das mesmas em áreas que respondam às necessidades do mercado de trabalho, contribuindo para a empregabilidade, tem agora no próximo ano mais este desafio de formar 9000 ativos empregados. É para nós um grande orgulho poder contribuir para a qualificação profissional em Portugal. A aprovação deste projecto no âmbito do POISE vem reforçar os nossos créditos nesta matéria”

Refere Rute Ferraz, Diretora no ISQ para a área da Formação.

 

Unidades de Formação de Curta Duração

As Unidades de Formação de Curta Duração (UFCD) têm como objetivo contribuir para o aumento dos níveis de qualificação dos ativos, garantindo-lhes o acesso a módulos de formação de curta duração (entre 25 a 50 horas) capitalizáveis, com vista à obtenção de uma determinada qualificação profissional constante no Catálogo Nacional de Qualificações, permitindo assim, a criação de percursos flexíveis de duração variada. O ISQ dispõe de uma vasta oferta de formação modular certificada em diversas áreas das quais se destacam a energia, soldadura, qualidade, construção civil, segurança, informática. Estas ações de nível 4 destinam-se a ativos com idade igual ou superior a 18 anos, com o 9º ano de escolaridade, que pretendam uma integração ou progressão no mercado de trabalho mais qualificada.

 

 

Outras Notícias




FCH Católica vai ter o seu OpenDay

A Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa abre as portas aos alunos do Ensino Secundário em mais um FCH OpenDay, no próximo dia 3 de maio, a partir das 14h30.

Para além de ser uma oportunidade de conhecerem a Faculdade e os seus cinco cursos de Licenciatura:

  • Comunicação Social e Cultural,
  • Filosofia,
  • Línguas Estrangeiras Aplicadas,
  • Serviço Social,
  • Psicologia,

Os alunos poderão durante esta atividade viver o ambiente de uma escola que se distingue pela elevada taxa de empregabilidade, pelo ensino personalizado e de excelência e pela crescente internacionalização.

O programa desta iniciativa incluirá a participação numa atividade de boas-vindas, workshops especializados, onde se irão juntar as coordenações dos cursos, atuais e antigos alunos, e ainda um lanche no final do dia com atuais alunos da FCH. Este será um momento muito importante de contacto com o ambiente académico e durante esta iniciativa os alunos poderão, ainda, esclarecer todas as suas dúvidas sobre o acesso ao ensino superior, a oferta formativa da FCH e as respetivas saídas profissionais, estágios e programas internacionais.

Outras notícias




A Felicidade segundo um professor de Harvard

O Dr. Tal Ben-Shahar, ministrou um dos cursos mais populares de Harvard, combinando ciência, pesquisa, auto-ajuda, e espiritualidade para ensinar as pessoas a serem mais felizes e perceberem melhor o que é Felicidade. Escreveu diversos livros sobre o assunto, entre eles, o livro Happier que acabei de ler. Neste pequeno texto compartilho alguns pontos importantes que aprendi na leitura.

Os 4 Arquétipos

1. O rator corredor: O rato corredor, perfil, muito comum em nossa sociedade, é aquele que vê a felicidade sempre projetada no futuro. “Quando eu conseguir atingir tal objetivo serei feliz”, costuma dizer. O rato corredor não consegue aproveitar a jornada até sua meta, é o aluno que estuda pelo diploma, sem aproveitar a experiência de estar estudando. É escravo do futuro. Esta sempre muito preocupado em chegar ao topo da montanha, mas não aproveita a beleza da escalada.

2. Hedonista: Para o hedonista, apenas a jornada é importante. Preocupa-se em aproveitar o momento, o que dá prazer, aqui e agora. Considera o prazer a finalidade da vida. Não tem metas, nem objetivos, nem planos a longo prazo. Seu estilo de vida leva ao tédio, e a falta de significado a longo prazo. É escravo do presente.

3. Niilista: Desiludido com a vida, desistiu do jornada e do destino. Foca nos fracassos do passado, tentou ambos os arquétipos anteriores e falhou. É escravo do passado.

4. Feliz: Aproveitar a jornada que leva ao destino, ambos tem valor. A felicidade não é escalar sem rumo, sem chegar ao topo da montanha, é a experiência de escalar a montanha na direção do topo. Não é um equação um ou outro!

Em qual arquétipo está na maior parte do seu tempo?

A Última Moeda

Se você pergunta a si mesmo, o que quer, e continuar se perguntando por que depois de cada uma de suas respostas, perceberá que fundo a ultima de sua respostas será: “Porque quero ser feliz”. Não importa se a primeira resposta for quero me casar, ou quero comprar um carro, ou quero que minha empresa cresça, no fundo chegará sempre a mesma causa raiz. Você está buscando a felicidade. Aristoteles escreveu no seu livro Arte Poética que “a felicidade é o significado e o propósito da vida, o objetivo e a finalidade da existência humana.”

Crie rituais de felicidade

Meditação

Meditação

Para uma atleta ter uma boa performance é muito importante, por isso cria-se rituais de treinamento. Se a felicidade é importante para você, crie rituais em torno dela também. Os melhores atletas e artísticas tem rituais diários para gerenciar sua energia, seus hábitos e seu comportamento. Que hábitos você pode incluir na sua vida que podem fazer de você uma pessoa mais feliz? Malhar 3 vezes na semana? Meditar todas as manhãs? Ler um pouco de ficção depois do jantar? Sair para jantar com a familia todas as quintas? Introduza um ou dois rituais e faça disso um hábito. Comece com 1 ou 2, e vá incrementando paulatinamente.

Gratidão

Pesquisas apontaram que quanto mais grata, mais feliz é um pessoa. Aqueles que matem um diário de gratidão – escrevendo ao menos 5 coisas pelas quais são gratos – expressão altos níveis de bem estar físico e emocional. Comece agora: Pense em cinco coisas pelas quais você é grato. Que tal fazer disso um de seus rituais?

Faça o que você gosta de fazer

As pessoas mais bem sucedidas são aquelas que fazem o tem interesse, paixão, convicção e vontade. Siga seu coração. “A melhor coisa que pode acontecer para uma pessoa é ser pago para fazer o que apaixonadamente ama fazer.”, disse Abraham Maslow.

Ponto de Equilíbrio

Ponto de Equilibrio

Ponto de Equilíbrio

Encontre o ponto entre sua zona de conforto e sua zona de pânico. Jogar tênis, não é agradável se os dois oponentes estiverem em desequilibro. O menos habilidoso ficará ansioso e o melhor entediado. O  Prazer aparece na divisa entre o tédio e a aflição, quando o desafio está equilibrado com a capacidade da pessoa em agir.

Você já sabe o que deve fazer!

Faça um exercício. Pense em você com 110 anos. Pense agora que você entrará em uma máquina do tempo e encontrará a versão de você com a sua idade atual. O que você dirá? Que conselhos dará?

“Para mudar sua vida você precisa de coragem, mas coragem é não ter medo, mas o ato de ir em frente mesmo com medo”, diz Tal Ben-Shahar.

Saiba mais em : http://blog.andrefaria.com/a-felicidade-segundo-um-professor-de-harvard

 

Veja outras notícias




Kelly Services é certificada pela DGERT enquanto entidade formadora

Com o contínuo foco na satisfação de clientes e qualidade integrada de serviços prestados, a Kelly Services vê certificado pela DGERT, o trabalho desenvolvido no âmbito da formação.

O investimento no reforço da competitividade e qualidade do portefólio Kelly Services progride assim com a atribuição de mais um reconhecimento de confiança e credibilidade, desta feita distinguindo a Kelly Services enquanto entidade formadora certificada.

Ser uma entidade formadora certificada significa que os procedimentos e práticas da Kelly Services estão de acordo com um referencial de qualidade específico para a atividade formativa, definido pela DGERT (Direção Geral do Emprego e das Relações de Trabalho) e que providencia, por este meio, um delivery sustentado nas melhores práticas e processos pedagógicos.

No âmbito da atividade formativa, a Kelly Services recorre a modelos de formação presencial, assentes em métodos pedagógicos ativos de aprendizagem, alinhados às necessidades críticas diagnosticadas junto das empresas e público geral, para as áreas de educação e formação:

  • desenvolvimento pessoal,
  • comércio
  • segurança e higiene no trabalho.

As vantagens em ser uma entidade certificada são, entre outras, o reconhecimento de qualidade no mercado, o acesso a financiamento público para a formação, a acesso e exercício de atividade formativa prevista em legislação setorial, a isenção de IVA nos serviços de formação, e a dedução de despesas com formação profissional no IRS.

Visão para a área da formação profissional

Ser uma referência nacional nas melhores e mais inovadoras soluções de formação profissional, visando aumentar as competências dos participantes nas ações de formação e a satisfação dos clientes enquanto entidades empregadoras, facilitando a sua integração/progressão na carreira/competitividade.

Missão para a área da formação profissional

Servir os nossos clientes, trabalhadores, acionistas e sociedade em geral, disponibilizando soluções de formação profissional adequadas às necessidades dos vários interlocutores, de forma a atingir os objetivos identificados.

Outras notícias