AtualidadePessoas

Esperanza Ribas, DRH da Mars Iberia: “A partir do momento em que um colaborador passa a fazer parte do universo Mars torna-se responsável pelo negócio”

Esperanza Ribas é membro da família Mars, empresa que opera no setor de confectionary, petcare, food e gum, há 13 anos. Como diretora de recursos humanos da Mars Iberia, desde 2016, é com entusiasmo e orgulho que partilha as práticas que desenvolvem, adaptadas às diferenças que separam Portugal e Espanha, e cujos protagonistas são os associados da organização que, este ano, foi considerada um “Best Workplace” europeu. Na Mars, sob os cinco princípios que a caracterizam – qualidade, responsabilidade, mutualidade, eficiência e liberdade –, investem no crescimento e aprendizagem dos associados, responsáveis também pelo negócio, “como forma de os incentivar e reconhecer o seu papel na estrutura da empresa”. Os 80 colaboradores que trabalham em Portugal, recentemente instalados em Algés, escolhem o seu lugar no escritório e no parque de estacionamento e, a cada terça-feira, têm a oportunidade de usufruir de uma massagem de 45 minutos. A Mars oferece aos seus associados, e famílias, um seguro de saúde, horários flexíveis, 28 dias de férias por ano e folga no dia de aniversário. Como empresa de petcare, a Mars permite que os colaboradores se façam acompanhar do seu animal de estimação no local de trabalho. Nos dias 21 e 22 de junho, promoveu, a propósito, a iniciativa de celebração Take Your Dog to Work Day.
É responsável pela gestão de pessoas em dois países que, embora muito próximos geograficamente, apresentam algumas diferenças. Quais são os desafios associados a uma gestão de profissionais dispersos fisicamente?

As barreiras físicas, hoje em dia, são irrisórias, no que diz respeito à proximidade entre as equipas que estão em geografias diferentes. Existem naturalmente diferenças culturais entre os dois países, mas isso é uma grande mais-valia, uma vez que nos permite maior partilha e aprendizagem. Há muito mais que nos une: o compromisso, a entrega e o empenho em fazer sempre o melhor, de acordo com os nossos “cinco princípios em ação” – qualidade, responsabilidade, mutualidade, eficiência, liberdade – que surgiram da filosofia da família Mars.

A política de recursos humanos da Mars para Portugal e Espanha é apenas uma, adaptada aos dois territórios, ou são políticas distintas?

As políticas de recursos humanos da Mars em Portugal e em Espanha estão alinhadas com o posicionamento global da Mars, Incorporated que unem os mais de 100 mil associados de diferentes gerações, geografias, línguas e culturas. Temos o privilégio de partilhar as mesmas ferramentas de trabalho, os mesmos planos de integração, motivação, desenvolvimento e aprendizagem entre os associados de todo o mundo. O nosso grande foco, seja em qualquer ponto do mundo, é criar condições para que os nossos associados possam crescer e aprender, dando-lhes ferramentas para que possam desenvolver a sua carreira. Queremos ajudar cada associado a ter uma carreira que signifique mais a nível pessoal, para o negócio e para a comunidade.

O nosso grande foco, seja em qualquer ponto do mundo, é criar condições para que os nossos associados possam crescer e aprender, dando-lhes ferramentas para que possam desenvolver a sua carreira.

A Mars caracteriza-se pela visão que assume em relação aos seus colaboradores. Como é que surgiu a designação que lhes atribuem e porque é que os consideram associados?

A designação “associado” surge precisamente da visão de negócio e posicionamento da Mars. Acreditamos que o nosso êxito não depende apenas das competências e conhecimentos dos nossos colaboradores, mas sobretudo do seu empenho, contributo e independência. É um conceito que está ancorado em dois dos nossos princípios: mutualidade e responsabilidade. A partir do momento em que um novo colaborador passa a fazer parte do universo Mars torna-se responsável pelo negócio como se fosse seu. Esta é uma forma de o incentivar a contribuir da melhor forma no seu dia-a-dia e reconhecer o seu papel na estrutura da empresa.

A partir do momento em que um novo colaborador passa a fazer parte do universo Mars torna-se responsável pelo negócio como se fosse seu. Esta é uma forma de o incentivar a contribuir da melhor forma no seu dia-a-dia e reconhecer o seu papel na estrutura da empresa.

Em que é que consiste o princípio da mutualidade?

O princípio da mutualidade tem por base a lógica “um benefício mútuo é um benefício partilhado. Um benefício partilhado persistirá” e está presente em todas as relações que estabelecemos, seja com associados, parceiros comerciais, ou com as comunidades em que estamos inseridos. Acreditamos que só alcançaremos os melhores resultados se formos altruístas e justos nestas relações. No que diz respeito aos associados, são valorizados individualmente pelo seu talento e empenho e são recompensados de forma justa pelos seus resultados. Reconhecemos que cada associado pode ter necessidades diferentes, por isso aceitamos que possam escolher o estilo de trabalho ou as opções de carreira que melhor se adaptam aos seus objetivos. Um exemplo de mutualidade é a forma como entendemos os benefícios na Mars. Implementamos, apenas, benefícios “retributivos” que possam ser oferecidos a todos os associados. Por exemplo, promovemos o bem-estar de todos os nossos colaboradores, subsidiando 50% do custo de inscrição para as aulas de ginástica ou outros desportos e preferimos fazer desta forma do que disponibilizar ginástica no escritório, porque é um benefício que pode ser usufruído por todos os associados, desde os que estão fisicamente no escritório, aos que fazem parte da rede de vendas.

Implementamos, apenas, benefícios “retributivos” que possam ser oferecidos a todos os associados. Por exemplo, promovemos o bem-estar de todos os nossos colaboradores, subsidiando 50% do custo de inscrição para as aulas de ginástica ou outros desportos

Como é que se processa a atração e retenção de talentos nos dois países? Que medidas têm implementado para atrair talento?

O foco da Mars em termos de gestão de recursos humanos é muito simples: queremos encontrar, atrair e reter as melhores pessoas. E quando falamos de “melhores”, falamos de pessoas que se identifiquem com os nossos cinco princípios, com os nossos desafios e que sejam felizes a trabalhar connosco. Por isso mesmo, acreditamos que temos também de oferecer o melhor aos nossos colaboradores e futuros colaboradores, com medidas a diversos níveis, desde as condições de trabalho aos planos de desenvolvimento e formação pessoais. Em termos de condições de trabalho, falamos por exemplo de medidas que consideramos básicas, como horários flexíveis, trabalho à distância, disponibilização de ferramentas tecnológicas recentes, escritórios com enfoque em espaços de wellbeing e open spaces para comunicações sem barreiras entre qualquer linha da estrutura. No que de diz respeito a comportamentos e filosofia, temos vindo a apostar firmemente no trabalho colaborativo entre as várias áreas de negócio e também no contributo para as comunidades em que estamos inseridos, desenvolvendo programas de voluntariado ativo e de responsabilidade social e ambiental.

E que programas de trainees desenvolvem?

No que concerne à gestão de talentos e carreiras, desenvolvemos também diversas iniciativas. Para os jovens talentos temos o Mars Trainee Program, um programa dirigido a recém-licenciados com possibilidade de oferecermos um contrato de trabalho de seis meses a um ano com o objetivo de serem integrados após o período de estágio. Temos também o Young Talent Program, um programa para recém-licenciados que se desenvolve a três anos e durante os quais passam por diversas funções de vendas, sendo-lhes atribuído um mentor sénior desta área, um buddy de outro departamento e um tutor de recursos humanos. Apostamos, igualmente, no Mars Graduate Program, um programa de desenvolvimento e liderança de três anos, durante aos quais os associados integrados passam por departamentos, funções e países diferentes em cada ano.  E, por último, podemos destacar o também o Programa Great Line Manager que visa desenvolver os nossos Line Managers, a partir do princípio que cada associado merece um “Great Line Manager” e que integra diversas sessões de formação, academias, workshops.

Que medidas adicionais integram o plano de valorização da Mars? O recrutamento interno é uma delas?

Para além dos programas acima referidos, desenvolvemos diariamente práticas que têm por objetivo valorizar os nossos associados desde formações em liderança a formações on-line que compilam informação sobre o negócio e as marcas dos principais segmentos de negócio. A outro nível, podemos sim falar do recrutamento interno como o culminar da valorização dos nossos associados.  Apostamos fortemente nesta mobilidade interna exatamente porque trabalhamos no desenvolvimento e aperfeiçoamento de cada um deles, de acordo com o seu perfil e capacidades. Note-se que o nosso rácio de promoção interna é de 80%.

Apostamos fortemente nesta mobilidade interna exatamente porque trabalhamos no desenvolvimento e aperfeiçoamento de cada um deles, de acordo com o seu perfil e capacidades. Note-se que o nosso rácio de promoção interna é de 80%.

Como é que motivam os colaboradores?

A grande aposta da Mars é motivar diariamente os seus colaboradores. Somos mais do que um local de trabalho, em que o objetivo é atingir metas e superar resultados. A motivação consegue-se com pequenas ações que nos distinguem e que fazem também com que os associados se considerem especiais e reconhecidos. Desta forma, consideramos muito importante apostar em iniciativas que ajudem a facilitar a comunicação e criar confiança e proximidade entre todos como, por exemplo, as Global Town Halls (reuniões de comunicação com um responsável ao nível da Senior Management com funções globais), o contacto direto com membros da família Mars que nos visitam periodicamente para transmitir os seus valores e nos inspirar, os All Associates Day, que juntam os todos os associados em ações de team building e partilha. Um dos nossos pontos fortes é também a valorização dos associados e a importância do seu contributo junto das comunidades onde estarão inseridos através de projetos e programas de responsabilidade social corporativa. São exemplo o Mars Volunteer Program, que engloba ações de voluntariado locais relacionadas com as áreas de negócio da Mars e o Mars Ambassador Program, um projeto de voluntariado internacional que coloca os nossos associados a ajudar e apoiar as comunidades internacionais em que estamos inseridos. Em 2017, tivemos duas associadas de Portugal neste programa, uma no Equador, enquanto embaixadora do nosso trabalho nas plantações de cacau e outra no Quénia, a dar formação em ferramentas informáticas para monitores de uma escola.

A Mars ganhou, em abril, em Portugal, o prémio de responsabilidade social e sustentabilidade atribuído pela Great Place to Work. Que iniciativas desenvolvem na empresa?

Contribuíram para este galardão as iniciativas de ajuda e apoio à comunidade que a Mars desenvolve em Portugal, que totalizaram cerca de 800 horas de voluntariado por ano. Em território nacional são exemplo ações como as realizadas em Castanheira de Pêra após os incêndios que assolaram esta zona no verão passado e o projeto “Eu Cuido. Um mundo melhor para os animais”, destinado à educação e sensibilização das crianças para as questões de saúde, bem-estar e comportamentos dos animais de estimação. A nível internacional, destaque para o Mars Ambassador Program onde estiveram inseridas duas associadas portuguesas. Também para esta distinção contribuiu o forte compromisso da Mars com a sustentabilidade, através do cumprimento das linhas internacionais do plano Sustainable in a Generation, cujo objetivo é guiar a Mars na concretização de objetivos sustentáveis nas áreas ambiental, social e de negócio. Neste âmbito dos prémios Great Place to Work, destacamos também o reconhecimento da Mars como uma das melhores empresas em Portugal na promoção da igualdade de género.

Na Mars preocupam-se com o equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal dos colaboradores? Com que práticas o evidenciam?

Com base na nossa cultura e nos cinco princípios, a saúde e o bem-estar não são negociáveis para a Mars e é nossa responsabilidade colocar todos os esforços necessários para criar as condições para um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Para além da flexibilidade no trabalho, que permite que cada associado gira o seu horário, temos este especial foco em cuidar do bem-estar dos nossos associados. Disponibilizamos um valor mensal para os que queiram praticar desporto, temos sessões de massagens, contamos com a visita mensal de um médico, disponibilizamos seguros de vida e de saúde, disponibilizamos ou comparticipamos serviços de dia-a-dia como lavagem de carros, correios ou lavandaria.

Com base na nossa cultura e nos cinco princípios, a saúde e o bem-estar não são negociáveis para a Mars e é nossa responsabilidade colocar todos os esforços necessários para criar as condições para um equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

A Mars foi considerada recentemente um “Best Wokplace”. A que fatores atribui a distinção?

Exatamente por causa da nossa cultura. Os nossos associados são os nossos “everyday heroes”. Fazemos parte de uma família global e compartilhamos o mesmo elo de ligação em qualquer parte do mundo. Orgulhamo-nos pela nossa forma de gerir o negócio, cujo enfoque são os associados: ajudá-los a aprender, a expandir, a desenvolver e a sonhar.

Como diretora de recursos humanos da Mars Iberia, que objetivos tem, ainda, por cumprir?

O meus objetivos são dois: preparar a Mars Iberia para atrair, desenvolver e reter o talento do futuro e continuar a melhorar a nossa percepção como Great Place to Work no futuro e digitalizar a função de Recursos Humanos para proporcionar uma ainda melhor employee experience e melhor co-gestão de recursos humanos para o negócio.

imprimir

Previous post

Verão traz mais emprego a Portugal

Next post

Agência Taylor apresenta nova diretora

IIRH

IIRH

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *