AtualidadeFormação e coaching

A Felicidade segundo um professor de Harvard

image_pdfimage_print

O Dr. Tal Ben-Shahar, ministrou um dos cursos mais populares de Harvard, combinando ciência, pesquisa, auto-ajuda, e espiritualidade para ensinar as pessoas a serem mais felizes e perceberem melhor o que é Felicidade. Escreveu diversos livros sobre o assunto, entre eles, o livro Happier que acabei de ler. Neste pequeno texto compartilho alguns pontos importantes que aprendi na leitura.

Os 4 Arquétipos

1. O rator corredor: O rato corredor, perfil, muito comum em nossa sociedade, é aquele que vê a felicidade sempre projetada no futuro. “Quando eu conseguir atingir tal objetivo serei feliz”, costuma dizer. O rato corredor não consegue aproveitar a jornada até sua meta, é o aluno que estuda pelo diploma, sem aproveitar a experiência de estar estudando. É escravo do futuro. Esta sempre muito preocupado em chegar ao topo da montanha, mas não aproveita a beleza da escalada.

2. Hedonista: Para o hedonista, apenas a jornada é importante. Preocupa-se em aproveitar o momento, o que dá prazer, aqui e agora. Considera o prazer a finalidade da vida. Não tem metas, nem objetivos, nem planos a longo prazo. Seu estilo de vida leva ao tédio, e a falta de significado a longo prazo. É escravo do presente.

3. Niilista: Desiludido com a vida, desistiu do jornada e do destino. Foca nos fracassos do passado, tentou ambos os arquétipos anteriores e falhou. É escravo do passado.

4. Feliz: Aproveitar a jornada que leva ao destino, ambos tem valor. A felicidade não é escalar sem rumo, sem chegar ao topo da montanha, é a experiência de escalar a montanha na direção do topo. Não é um equação um ou outro!

Em qual arquétipo está na maior parte do seu tempo?

A Última Moeda

Se você pergunta a si mesmo, o que quer, e continuar se perguntando por que depois de cada uma de suas respostas, perceberá que fundo a ultima de sua respostas será: “Porque quero ser feliz”. Não importa se a primeira resposta for quero me casar, ou quero comprar um carro, ou quero que minha empresa cresça, no fundo chegará sempre a mesma causa raiz. Você está buscando a felicidade. Aristoteles escreveu no seu livro Arte Poética que “a felicidade é o significado e o propósito da vida, o objetivo e a finalidade da existência humana.”

Crie rituais de felicidade

Meditação

Meditação

Para uma atleta ter uma boa performance é muito importante, por isso cria-se rituais de treinamento. Se a felicidade é importante para você, crie rituais em torno dela também. Os melhores atletas e artísticas tem rituais diários para gerenciar sua energia, seus hábitos e seu comportamento. Que hábitos você pode incluir na sua vida que podem fazer de você uma pessoa mais feliz? Malhar 3 vezes na semana? Meditar todas as manhãs? Ler um pouco de ficção depois do jantar? Sair para jantar com a familia todas as quintas? Introduza um ou dois rituais e faça disso um hábito. Comece com 1 ou 2, e vá incrementando paulatinamente.

Gratidão

Pesquisas apontaram que quanto mais grata, mais feliz é um pessoa. Aqueles que matem um diário de gratidão – escrevendo ao menos 5 coisas pelas quais são gratos – expressão altos níveis de bem estar físico e emocional. Comece agora: Pense em cinco coisas pelas quais você é grato. Que tal fazer disso um de seus rituais?

Faça o que você gosta de fazer

As pessoas mais bem sucedidas são aquelas que fazem o tem interesse, paixão, convicção e vontade. Siga seu coração. “A melhor coisa que pode acontecer para uma pessoa é ser pago para fazer o que apaixonadamente ama fazer.”, disse Abraham Maslow.

Ponto de Equilíbrio

Ponto de Equilibrio

Ponto de Equilíbrio

Encontre o ponto entre sua zona de conforto e sua zona de pânico. Jogar tênis, não é agradável se os dois oponentes estiverem em desequilibro. O menos habilidoso ficará ansioso e o melhor entediado. O  Prazer aparece na divisa entre o tédio e a aflição, quando o desafio está equilibrado com a capacidade da pessoa em agir.

Você já sabe o que deve fazer!

Faça um exercício. Pense em você com 110 anos. Pense agora que você entrará em uma máquina do tempo e encontrará a versão de você com a sua idade atual. O que você dirá? Que conselhos dará?

“Para mudar sua vida você precisa de coragem, mas coragem é não ter medo, mas o ato de ir em frente mesmo com medo”, diz Tal Ben-Shahar.

Saiba mais em : http://blog.andrefaria.com/a-felicidade-segundo-um-professor-de-harvard

 

Veja outras notícias

Previous post

Porque é que o lugar da mulher é em cargos de liderança!

Next post

Revelados os resultados do “Randstad Employer Brand Research 2017”

Cristina Barros

Cristina Barros

Managing director do IIRH

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *