AtualidadeRecrutamento e seleção

Job Deploy abre plataforma a recrutadores de profissionais de TI

A partir deste mês, os recrutadores de profissionais de TI (Tecnologias de Informação) já podem fazer o pré-registo para terem acesso à plataforma e apresentarem candidatos para as ofertas de emprego exclusivas da comunidade Job Deploy.

A startup que vem revolucionar a contratação de profissionais de TI passa assim a oferecer não só um processo de contratação mais transparente, mas também uma rede de recrutadores independentes de profissionais de TI.

A plataforma entrou no mercado no dia 1 de Maio deste ano e pela primeira vez, permitiu que, tanto o profissional como a empresa, saibam quanto será a remuneração do colaborador tendo em conta o investimento do cliente.
Neste último trimestre, a Job Deploy abre portas à comunidade de recrutadores, dando resposta outro grande desafio desta indústria: a dificuldade em chegar aos candidatos. Depois de um pré-registo, em jobdeploy.com, e da aprovação por parte da plataforma, estes profissionais terão acesso exclusivo às ofertas dos clientes da plataforma.

A Job Deploy já permitia a referenciação, um processo onde, após a contratação, quem referencia o profissional de TI recebe uma comissão equivalente ao primeiro fee de 10% da Job Deploy. Mas para os profissionais de recrutamento que apresentem o candidato recrutado, a comissão será muito acima dos valores de referência praticados no mercado: uma compensação de um valor que deverá ser em média entre os 500 e os 1000 euros.

Depois da democratização do processo de recrutamento e da contratação transparente, a Job Deploy ajuda a resolver o desafio da retenção Mas não é só nas fases de recrutamento e contratação que a Job Deploy quer impacto. O verdadeiro desafio é a retenção, e é essa uma das principais bandeiras desta startup. Os profissionais recrutados em regime de outsourcing são, muitas vezes, integrados nas equipas do cliente, assumindo funções com tanta relevância como aqueles que são ‘contratados pela casa’. Alguns deles acabam, ao fim de algum tempo, por desempenhar funções muito relevantes nos projectos que integram.

Com mais de 10 anos de experiência em empresas de outsourcing, Tiago Catarino sabe que muitos clientes estão, muitas vezes, dispostos a pagar mais para promover e reter os colaboradores contratados através deste regime. “A questão é que esse dinheiro não era canalizado para quem criava valor, mas para as empresas de outsourcing que intermediavam este processo pouco transparente e nada justo para quem está a trabalhar neste regime”, defende o CEO da Job Deploy.

Ao contrário do que se verifica nas empresas de outsourcing, na Job Deploy, não existe nenhuma barreira ao reconhecimento: se o cliente decidir aumentar o salário do colaborador, esse valor vai reflectir-se automaticamente na sua remuneração.

Mais notícias de interesse:

Previous post

Neves de Almeida reforça equipa de management

Next post

NOS Açores Try-Out

Ana Silva

Ana Silva

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *