Pessoas

María Cárdenas – Diretora ibérica de people & organization da Royal Canin

María Cecilia Ardila Cárdenas, diretora ibérica de people & organization da Royal Canin, revela ao InfoRH como é que a Royal Canin foi, nos últimos 4 anos,  a única empresa de Petfood a ser reconhecida em Portugal como uma das melhores empresas para trabalhar.

“A Royal Canin tem como objetivo impulsionar o desenvolvimento das capacidades funcionais e de liderança de todas as pessoas que fazem parte da organização, o que tem contribuído ativamente para que este reconhecimento seja possível ano após ano.”

Alguns dados de interesse:

  • A Royal Canin é uma empresa internacional, líder na área da Nutrição-Saúde dos cães e gatos.
  • Em 2002, a Royal Canin passou a fazer parte do grupo Mars
  • Está presente em 46 países;
  • Entre as 2 principais marcas do grupo Mars Petcare;
  • 13 Fábricas e 66 filiais;
  • 250 Alimentos secos e 100 alimentos húmidos – mais de 2.000 referências em todo o mundo;
  • Aposta na distribuição especializada: Criadores, médicos veterinários e lojas da especialidade;
  • 12 Milhões de cães e gatos são alimentados pela Royal Canin;

Revele-nos qual o segredo que faz da Royal Canin uma das melhores empresas para trabalhar.
A Royal Canin Portugal é considerada uma empresa Great Place To Work desde 2013 e este sucesso é baseado na colaboração constante que existe entre todos os associados. A Royal Canin apresenta um grande foco nas pessoas e uma das características que define a nossa cultura é o empowerment que damos a todos os associados, ou seja, é concedida a responsabilidade de definirem o que cada um consegue fazer melhor para que se possam focar nessa área e no valor acrescentado que podem trazer para a companhia.

Cada um tem os seus pontos fortes e apoiamos todos os colaboradores a desenvolverem os seus, além de garantirmos salários justos, benefícios sociais e medidas para conciliar a vida pessoal e profissional, como por exemplo, horários flexíveis e a possibilidade de trazerem os seus animais de estimação para o escritório. Desta forma, os associados sabem que estão realmente a trazer valor acrescentado para a empresa e que são importantes para que a Royal Canin consiga atingir os seus objetivos de negócio, ao mesmo tempo que sentem que fazem parte de uma organização que se preocupa com o seu bem-estar.

 

Quantos colaboradores tem em Portugal?
Atualmente temos uma equipa de cerca de 30 pessoas a trabalhar em Portugal. Além disso no nosso HUB de Madrid dispomos de uma vasta equipa que também dá apoio a Portugal.

 

Como é composta a vossa equipa de recursos humanos?
A nossa equipa está baseada em Business Partners que dão apoio aos diferentes departamentos. Na Royal Canin e no grupo Mars damos grande poder de liderança de equipas aos nossos Line Managers e é neles em quem delegamos a responsabilidade de apoiar os associados no seu desenvolvimento pessoal além de nos próprios associados. Neste sentido é através dos nossos Line Managers que colocamos em prática a nossa estratégia da gestão de talentos de todos os associados.

 

Um dos vossos objetivos é impulsionar o desenvolvimento das capacidades funcionais e de liderança de todos os vossos colaboradores. Como fazem a gestão dos vossos Talentos?
A gestão de talentos na Royal Canin é baseada em competências que são transversais a todas as empresas que fazem parte da Mars Incorporated. A forma como realizamos todos os processos de avaliação de desempenho, desenvolvimento de pessoas, entre outros, são políticas gerais e comuns e o que fazemos na Royal Canin é adaptá-las às nossas necessidades e características específicas.

Adicionalmente, conferimos às pessoas toda a liberdade para proporem novas ideias. O que temos assistido em novas incorporações de pessoas é uma excelente integração através de uma grande interajuda e companheirismo que lhes transmitem a confiança e a liberdade para empreender novas iniciativas e propor novas ideias. Isto permite que os associados possam crescer profissionalmente no seu posto de trabalho. Simultaneamente, a empresa tem de dar margem para o erro pois se as pessoas percebem que não podem errar, não arriscam em novas ideias. Este é um aspeto muito valorizado pois assim os associados sentem-se donos do seu posto de trabalho e aportam mais valor à empresa.

 

Qual a vossa politica de recrutamento?
A Royal Canin procura recrutar pessoas com um forte sentido ético e com as competências e capacidades adequadas para exercerem as suas funções. Os associados da Royal Canin também são encorajados a desenvolver os seus talentos para que possam assumir funções cada vez mais desafiantes e de maior responsabilidade dentro da empresa.

 

Que politicas de desenvolvimento de competências têm sido adotadas nos últimos anos?
O nosso foco não está centrado em desenvolver novas políticas mas sim em manter a essência da cultura da empresa, onde o principal foco são as pessoas através dos nossos Cinco Princípios que são a Qualidade, a Responsabilidade, a Mutualidade, a Eficiência e a Liberdade. Focamo-nos no desenvolvimento dos associados proporcionando, para tal, as ferramentas necessárias, como formação e oportunidades de promoção e, por outro, pedindo-lhes que se responsabilizem pelo seu próprio desenvolvimento, para que cada um seja responsável pela sua evolução na sua posição atual e futura.

 

Qual a importância da cultura corporativa para a obtenção de resultados na Royal Canin?
A Qualidade, a Responsabilidade, a Mutualidade, a Eficiência e a Liberdade são os princípios que constituem a base de tudo o que fazemos. Orientarmos a nossa estratégia de negócio e de cultura corporativa desta forma ajudou-nos a criar uma cultura sólida, proporcionando um sucesso empresarial consistente, inspirando também os nossos associados a assumirem responsabilidade como lideres no trabalho. Na Royal Canin é pedido a cada associado que tenha responsabilidade direta sobre os seus resultados, que tenha espírito de iniciativa e que utilize uma boa capacidade de julgamento na tomada de decisões.

Benefícios mútuos e partilhados, respeito que temos pelos nossos associados, pelos donos dos gatos e dos cães, pelos nosso parceiros, pela comunidade e pelo nosso planeta, permitem-nos fazer uma diferença que perdura.

 

O que podemos esperar para 2017?
Em 2017 a nossa estratégia irá manter-se, ou seja, concentrarmo-nos nas pessoas, no seu desenvolvimento e no seu bem-estar para alcançar os nossos objetivos de negócios, porque sabemos que a produtividade aumenta quando os associados estão motivados e felizes. Por outro lado, a nossa estratégia externa continuará a basear-se na construção de relações de colaboração mútua com os nossos clientes e fornecedores para alcançar um sucesso partilhado, ou seja, o crescimento de que nos orgulhamos. Para nós é tão importante o crescimento em si como a forma como o conseguimos, isto é, de uma forma sustentável e benéfica para todos desde associados, clientes, fornecedores, gatos e cães, os seus donos e toda a comunidade em torno do que operamos.

 

Outras notícias que podem ser do seu interesse:

Atualidade

Estão abertas as candidaturas ao Selo da Diversidade

Estão abertas as candidaturas ao Selo da Diversidade, uma iniciativa da Carta Portuguesa para a Diversidade que visa promover a inclusão dentro das organizações. A iniciativa foi lançada esta segunda-feira, …

READ MORE →
image_pdfimage_print
Previous post

Grupo Adecco apresenta nova imagem

Next post

Facebook vai publicar ofertas de emprego

Gonçalo Amorim

Gonçalo Amorim

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *