Pessoas

Marta Almeida, diretora coordenadora nacional da DS Crédito: “É conhecido o impacto positivo que o desenvolvimento de cada pessoa aporta ao grupo”

Chegou à DS Crédito, marca do grupo DECISÕES E SOLUÇÕES especializada em consultoria financeira e operações de crédito bancário, em 2006, para assumir a direção da agência de Peso da Régua. Dois anos depois, Marta Almeida ascendia a diretora coordenadora regional. A evolução natural do trabalho por si desenvolvido ditou que, em 2017, se tornasse diretora coordenadora nacional da DS Crédito, que definiu, para este ano, uma estratégia de recrutamento em escala. O InfoRH entrevistou a mulher por detrás do processo de recursos humanos da consultora para conhecer os seus contornos.

Que estratégia de recrutamento estão a adotar, considerando o rápido crescimento da DS Crédito?

A estratégia de recrutamento está a passar, maioritariamente, pela divulgação local em antecipação a cada nova abertura de agência, uma vez que os perfis  aderem tendencialmente a oportunidades nas zonas onde residem. Temos um formulário específico para acolhimento de candidaturas no site da DS Crédito e utilizamos também as suas redes sociais.  Adicionalmente, o sucesso que temos vindo a colher tem um enorme poder de contágio e esta promoção boca a boca traz também muitos potenciais interessados no negócio.

Em julho do ano passado referia que os objetivos definidos para 2018 incluíam a abertura de 100 agências. É possível perceber, neste momento, se o objetivo é exequível?

Arriscar adivinhar o futuro é algo que não fazemos, mas podemos adiantar que todos os indicadores apontam no sentido do cumprimento das metas a que nos propusemos. Mais do que isso, levanta-se a hipótese, ainda em fase de estudo, de expansão da DS Crédito além-fronteiras, que, a concretizar-se, catapultará a empresa para um conjunto de expectativas e resultados ainda mais ambiciosos.

Em fevereiro estava prevista a abertura de seis novas agências da DS Crédito. Em que áreas recrutaram?

A expansão da nossa rede de agências um pouco por todo o território nacional impulsiona o recrutamento em duas grandes frentes. Por um lado, diretores de agência, responsáveis pelas agências e equipas colaboradoras da DS CRÉDITO, para que sejam proativas e dinâmicas, na medida em que se pretende que trabalhem e constituam uma combinação eficaz de pessoas com estilos e/ou abordagens diferentes em prol do sucesso da agência de uma forma eficiente e comprometida. Por outro lado, consultores financeiros que serão pessoas especializadas no aconselhamento em operações de crédito bancário a particulares e a empresas. Existe, ainda, um apoio sólido por parte de uma forte organização, que se reflete nos seus departamentos Jurídico, Informático, Gestão de Material, Marketing, Formação e estrutura de coordenação que, no fundo, garantem o apoio às agências no dia-a-dia e um adequado funcionamento global da marca.

Que políticas de recursos humanos desenvolvem na DS Crédito?

Somos uma empresa atenta às boas práticas de recursos humanos e focada na resposta às aspirações de carreira das nossas equipas, algo que é transmitido a todos os empreendedores que aderem ao projeto e que levam a nossa marca para o terreno. Para além dos encontros regulares e eventos corporativos, que nos permitem fazer pontos de situação de trabalho ao mesmo tempo que se confraterniza em equipa, distinguimos os colaboradores que se destacam, o que as pessoas valorizam e que funciona como fator motivacional para todos.
Investimos na formação contínua, porque a área financeira assim o exige e porque é amplamente conhecido o impacto positivo que o desenvolvimento de cada pessoa aporta ao grupo. Privilegiamos um modelo de comunicação interna fluído, que consideramos importante para um feedback direto e constante, especialmente quando falamos de empresários por conta própria pela primeira vez ou até vindos de outros setores de atividade que não a banca e que, por isso, precisam inicialmente de um acompanhamento mais próximo dos nossos coordenadores regionais.
Também apoiamos causas que unem os nossos colaboradores em torno de objetivos de solidariedade que lhes agregam mais um motivo para que façam mais e melhor. Este ano, por exemplo, o grupo Decisões e Soluções ofereceu 15 mil euros à associação Corações com Coroa na pessoa da Catarina Furtado, resultado de vendas imobiliárias realizadas. Adicionalmente, promovemos iniciativas que reforçam um bom ambiente de trabalho e que possibilitam que a marca DS Crédito seja reconhecida como uma empresa onde é bom trabalhar.  

O bem-estar dos colaboradores é uma preocupação na empresa? Com que medidas o evidenciam?

Encorajamos hábitos saudáveis na empresa e abrimos espaço a que as pessoas cresçam com uma ambição saudável, mas observamos esses procedimentos como boas práticas e não como uma preocupação. Ninguém consegue fazer um bom trabalho desconfortável no seu ambiente, por isso, em termos de incentivo à criatividade, a uma boa gestão do stress, ou até do equilíbrio entre a atividade profissional e a vida pessoal, mantemo-nos vigilantes.

Como explica o sucesso da DS Crédito?

O sucesso da DS Crédito deve-se fundamentalmente a dois aspetos – à equipa que a compõe e ao conceito diferenciador. Somos abordados por empresários que se reveem no nosso projeto e que olham para a marca como uma alternativa de investimento que dá resposta a problemas concretos do dia-a-dia das pessoas, o que nos leva diretamente à questão do conceito. Num país como o nosso, em que os níveis de literacia financeira são manifestamente baixos entre o grande público, o aconselhamento gratuito por uma equipa de especialistas é muito bem acolhido –  os resultados falam por nós. Ao renegociarmos a prestação de um crédito à habitação que se julgava fixa ou ao consolidarmos uma carteira de créditos para uma família ficar a pagar menos ao final de cada mês, estamos a impactar diretamente na folga financeira das pessoas e, com isso, nas suas condições de vida. Fazemos um aconselhamento rápido e eficaz, sustentado na procura das soluções mais vantajosas caso a caso e isso é, realmente, diferenciador e tem impulsionado o crescimento junto dos empresários que fazem a rede crescer e do público que entra diariamente nas agências à procura de ajuda.

Que importância assume o capital humano no percurso da empresa?

Não é raro ouvirmos dizer que “as empresas são as pessoas”. No caso da DS Crédito isto é ainda mais verdade, porque as nossas equipas estão preparadas e disponíveis para ouvir e orientar os nossos clientes e para lhes prover a melhor resolução possível. Existe o cuidado de se explicar e traduzir a linguagem financeira de forma a que as pessoas entendam e possam tomar as suas decisões com conhecimento de causa. Em parte, os consultores financeiros da DS Crédito acabam por funcionar como psicólogos e sem esta humanização de um serviço tradicionalmente técnico, as famílias continuariam a não conseguir poupar e o percurso da empresa garantidamente não seria o mesmo.

 

Voltar à homepage

 

Mais notícias:

Facebook
image_pdfimage_print
Previous post

Almudena del Mar Muñoz é a nova responsável de comunicação do Grupo Cooltra

Next post

8 de março: dia de enaltecer a igualdade de género

Ana Silva

Ana Silva

No Comment

Deixar uma resposta