ArtigosFormação e coaching

O Modelo CIDCLEAR no Coaching Sistémico de Equipas

Por: Peter Hankings, coach, investigador e escritor em liderança e
consultor de referência nas suas áreas de especialidade

O Coaching Sistémico de Equipas não é um conjunto de momentos ou workshops com uma equipa, mas sim uma parceria que pretende ajudar uma equipa ao longo de um período de seis meses a dois anos. Para ter uma parceria bem-sucedida, é importante entender as fases de desenvolvimento e também ser capaz de contratar efetivamente com o líder da equipa ou outro gatekeeper assim como com a equipa, como um todo.

O modelo CIDCELAR dá uma orientação a Team Coaches sobre as fases necessárias de um coaching de equipa.

Contract 1: O contrato inicial é muitas vezes apenas com o líder da equipa ou o responsável de recursos humanos. Não se reflete em ser um contrato para o coaching da equipa, pois este contacto é com toda a equipa. É um contrato para realizar as fases de Diagnóstico e Design com a equipa.

Inquiry: Trata-se de um processo de investigação colaborativo para descobrir os desafios que a equipa enfrenta no futuro, a sua história, o seu propósito, objetivos e papéis e a dinâmica do todo. Isso pode envolver um questionário de equipa de 360 graus, entrevistas com os membros da equipa e com as partes interessadas, bem como analisar os dados de desempenho.

Diagnosis & Design: Depois de fazer o inquérito, toda a equipa precisa de se envolver, co-diagnosticando o que os stakeholders da equipa e outros, de futuro, exigem que a equipa atinja e os seus pontos fortes e fracos, de forma a responder a esses desafios e co-projetando a jornada de desenvolvimento da equipa e o respetivo suporte ao coaching de equipa.

Contract 2:  Nas etapas acima, o contrato pode ser desenvolvido com toda a equipa, incluindo a forma como o trabalho será analisado e avaliado.

Listening:  Esta fase envolve uma audição atenta do coaching de equipa relativamente a como a equipa aborda os seus desafios, quer em reuniões internas quer no seu envolvimento com os stakeholders.

Exploring and Experimenting:  O coach de equipa permite que a equipa experimente novas formas de trabalhar nas cinco disciplinas.

Action:  O coach da equipa também ajuda ao transformar a aprendizagem dessas experiências em compromissos e ações claras, não apenas em boas intenções, treinando-as em contextos de compromissos mais desafiadores.

Review and Evaluation:  O coach da equipa garante que o trabalho é analisado regularmente e que o contrato se vai desenvolvendo mediante o que está a funcionar ou não e dos novos desafios que emergem do ecossistema mais amplo da equipa. Normalmente, fazemos um refresh 360 graus com a equipa nove ou 12 meses após o início do trabalho e procedendo também a uma revisão de acompanhamento três a seis meses após a conclusão do processo de coaching da equipa.

Dominar o modelo CIDCLEAR para gerir eficazmente uma relação de coaching, incluindo a forma como se estabelecem compromissos com toda a equipa.

 

Voltar à homepage

 

Mais artigos de interesse:

Facebook
image_pdfimage_print
Previous post

Ana Vieira Simões, Human Resources Country Manager da Schneider Electric Portugal: “Dando esta liberdade às equipas, estamos a respeitar a nossa diversidade e aquilo que são os ritmos e as necessidades de cada um”

Next post

Transformação digital, liderança e intranets sociais

Ana Silva

Ana Silva

No Comment

Deixar uma resposta