AtualidadeMercado de Trabalho

Para os jovens o dinheiro não é tudo: querem trabalhar em empresas com visão e valores 

Os estudantes, futuros profissionais no mercado de trabalho, dão extrema importância aos valores e à visão das empresas onde podem vir a trabalhar.

Esta é uma das principais conclusões do estudo “Student´s Career Preferences Survey” da KPMG Internacional, que auscultou 4165 estudantes de Gestão, Ciências, Tecnologia, Engenheira e Matemática de algumas das melhores universidades do mundo, incluindo estudantes portugueses.

O estudo mostra que as opiniões dos jovens portugueses estão, em geral, alinhadas com o que pensam os estudantes mundiais, destacando-se a importância que atribuem aos valores e à visão das empresas que serão os seus empregadores.

O survey da KPMG revela que 89% dos estudantes considera importante trabalhar numa organização que tenha um impacto positivo no mundo. Um pacote de remuneração e benefícios competitivo é naturalmente um dos principais critérios de escolha, no entanto a grande maioria dos estudantes (79%) refere que trabalhar numa organização com um forte sentido de propósito é mais importante que ganhar o salário mais elevado possível. 

Estas opiniões realçam uma nova visão e uma nova mentalidade dos jovens mundiais, incluindo os portugueses, para quem o dinheiro não é tudo. Para além de quererem trabalhar em empresas com elevado sentido de propósito e com valores alinhados com os seus, para 92% dos inquiridos é muito importante que a empresa onde vão trabalhar tenha uma visão interessante.

Também o desenvolvimento pessoal e profissional é altamente valorizado pelos alunos em todo o mundo. Ter oportunidades de desenvolvimento pessoal e de adquirir qualificações profissionais são factores importantes na selecção de um empregador para quase metade dos estudantes inquiridos.

 José Portugal, Partner e Head of People, Performance & Culture da KPMG Portugal afirma que:

“os resultados deste estudo sobre as preferências de carreira dos estudantes vão ao encontro do que ouvimos dos recém-graduados que contratamos. Os valores e a missão da empresa estão entre os principais critérios na análise a um potencial empregador. Os jovens querem desenvolver trabalho com impacto e fazer parte de uma organização onde sintam que contribuem para fazer a diferença, ao mesmo tempo que lhes permite crescer e progredir na carreira.”

Rachel Campbell, Global Head of People da KPMG Internacional sublinha esta ideia e adianta:

“Os estudantes de hoje esperam percursos profissionais flexíveis, o que pode passar por trabalhar em múltiplos países. Procuram carreiras com significado e um sentido de propósito e estão dispostos a ir para onde as oportunidades os levarem.”

As respostas dos estudantes comprovam a maior abertura para uma carreira internacional. A maioria dos inquiridos indicou estar disponível para trabalhar num outro país, sendo que mais de 65% dos jovens estão preparados para trabalhar em dois, três ou até em quatro países e 27% responderam que podem trabalhar em mais de quatro países diferentes.

No que diz respeito às profissões mais desejadas, no topo das preferências dos estudantes que participaram neste survey estão a área financeira, a área dos serviços profissionais e a área da tecnologia.

Outras notícias

image_pdfimage_print
Previous post

Revelados os resultados do “Randstad Employer Brand Research 2017”

Next post

Nova diretora de recursos humanos da Grenke Portugal

Gonçalo Amorim

Gonçalo Amorim

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *