AtualidadeFormação e coaching

A Psicologia, a Economia Comportamental e a Formação: Que relação?

A VdA Academia organizou, no passado dia 11 de outubro, o IV Encontro de Academias Corporativas, este ano dedicado ao tema “O Poder Transformacional da Formação: otimizar resultados com recursos à Economia Comportamental”.

O IV Encontro de Academias Corporativas, que contou com a colaboração da CLOO® Behavioural Insights Unit – primeira e única nudge unit portuguesa – e Colégio Doutoral Mente-Cérebro, destinou-se a abordar questões como o aumento da eficácia comportamental das formações e a capitalização do investimento das organizações, analisando os principais fatores que influenciam o desenvolvimento profissional e organizacional, como nudges e o direito cognitivo a errar.

Após o impacto do encontro do ano anterior, dedicado ao tema “Os avanços das neurociências aplicados à formação”, e reconhecido com a terceira posição no ranking do Financial Times Innovative Lawyers, na categoria de Innovation in managing and developing talent, mostrou-se imperativo desenvolver a linha de aproximação entre as ciências (e, em particular, as neurociências), a psicologia e a formação.

O conhecimento desenvolvido ao nível da psicologia e da economia comportamental fornece algumas explicações sobre os fatores que influenciam os resultados da formação tais como erros, enviesamentos, estereótipos e heurísticas. A formação é um fator de competitividade com impacto significativo nas organizações, pelo que é importantíssimo que sejam conseguidas as mudanças comportamentais desejadas e que trazem o valor acrescentado às organizações. Durante o IV Encontro de Academias Corporativas, e com os contributos dos nossos parceiros, foram abordadas todas estas questões e dadas sugestões táticas para a otimização dos resultados da formação.

Direito cognitivo a errar

A expressão “direito a errar” surge do campo de investigação de Psicologia, nomeadamente da psicologia da aprendizagem. Segundo estas abordagens a aprendizagem só ocorre quando existe erro. Este tema foi introduzido pelo Prof. Leonel Garcia-Marques da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa. Em contexto de formação, e seguindo estes princípios, é importante dar espaço aos formandos para experimentar e errar, não os sobrecarregando com feedback constante e que iniba estes comportamentos. O erro facilita a incorporação do conhecimento e a alteração do comportamento.

Economia comportamental aplicada ao Contexto Formativo

O tema da tomada de decisão e dos nudges foi introduzido por Carlos Mauro da CLOO® Behavioral Insights Unit, a primeira empresa portuguesa de aplicação da Economia Comportamental, atividade conhecida por Nudging.
Para otimizarmos a estratégia formativa e retirar desta o melhor proveito, é fundamental e central compreender como é que as pessoas tomam decisões, como formam juízos sobre opções de escolha e, consequentemente, quais são as razões dos seus comportamentos. Através da utilização de nudges é possível influenciar e facilitar a tomada de decisão, não colocando nunca em causa a liberdade de escolha de cada um.

No Encontro, que contou com a presença do Dr. Vasco Vieira de Almeida, sócio fundador da Sociedade, de vários Sócios e colaboradores da VdA, estiveram presentes mais de 70 participantes, incluindo profissionais de Recursos Humanos e Formação de diversas organizações e sectores de atividade.

Mais notícias:

AtualidadeEmpresas

Conheça os “Melhores Fornecedores RH” de 2018

Numa sessão realizada ontem, dia 20 de fevereiro no Hotel Real Palácio, em Lisboa, foram anunciados os vencedores da sétima edição da iniciativa “Melhores Fornecedores RH”, promovida pela APG – …

READ MORE →
ArtigosFormação e coaching

Uma nova forma de construir histórias

Por: Rita Oliveira Pelica, Chief Energy Officer & Founder da ONYOU e docente universitária. Era uma vez uma metodologia vinda do reino da Dinamarca que ajudava as pessoas a criar …

READ MORE →
Previous post

Setor II da Quinta da Fonte renova-se para melhorar o bem-estar dos funcionários

Next post

Dicas para poupar e criar uma base de sustentabilidade nas organizações

Vanessa Henriques

Vanessa Henriques

Diretora Executiva da RHmagazine

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *