AtualidadeCarreira

Quatro dicas para ser um líder positivo

Liderança positiva tem base científica, mas também a natureza humana em toda a sua complexidade.

O colaborador dos dias de hoje não é mais aquele trabalhador resignado, capaz de tolerar diversas situações desfavoráveis, pensando em seu trabalho como uma fonte de renda e alicerce de uma carreira. Atualmente, em qualquer nível de emprego, a grande maioria dos trabalhadores vê a sua vida como o núcleo em que se deve encaixar o trabalho, e não o contrário, como era no passado. Há também os líderes que ainda não se alinharam com esta nova realidade e insistem em exercer sua liderança e atingir metas e objetivos sem considerar a complexidade e os novos valores da sua equipa. Na junção desses dois universos temos a desmotivação, a falta de compromisso e a queda de desempenho.

“A liderança positiva surge como uma resposta a esse dilema. É um conceito relativamente novo, com base na psicologia positiva aplicada, que visa a performance, mas considera as múltiplas dimensões biológicas, pessoais, relacionais, institucionais, culturais, globais, para gerar uma série de novos comportamentos no sentido do florescimento humano de um grupo, instituição. Esse desenvolvimento de cada profissional é que gera resultados além dos esperados”, explica Flora Victoria, especialista sobre o tema, mestre em psicologia positiva aplicada pela Universidade da Pensilvânia.

 

Mas como ser um líder com esse perfil? Para ajudar a quem está interessado nesse processo de mudança como líder, a especialista dá quatro dicas baseadas no acrônimo HERO, que dá origem ao chamado “Psycap”, estado psicológico positivo de desenvolvimento encontrado em empresas e líderes bem-sucedidos:

  1. Hope – garanta aos seus colaboradores a oportunidade de criar planos e caminhos para conquistar as suas metas. Estimule planos alternativos. Ajude-os a ter objetivos claros, a realizar e apresentar projetos bem-sucedidos para a equipe. Deixe-os entrar em ação.
  2. Efficacy – invista em feedbacks e ações de encorajamento social. Funcionários que apresentam resultados devem ser reconhecidos. Não só acompanhe suas atividades, demonstre que está acompanhando e mostre-se disponível para colaborar, caso ele necessite.
  3. Resilience – pratique a resiliência e inspire seus funcionários a fazer o mesmo. Se exponha a situações nas quais você não tenha um roteiro definido e aumente a sua capacidade de improvisar e criar soluções novas. Fazendo isso no dia a dia, sem pressão, quando a pressão ocorrer, você vai estar com a resiliência desenvolvida e sua equipe estará acostumada a lidar com isso.
  4. Optimism – seja otimista. Reconheça dificuldades, problemas, mas a forma como vai lidar com eles é que vai o diferenciar e à sua equipa. Um desafio não dura a vida toda. Um problema profissional é um problema profissional e não de todas as esferas da sua vida. Culpados não significam soluções. Perpetrar fraquezas e dificuldades não levam ninguém para frente. “Virar a chave” e acreditar no seu potencial e de sua equipa sim.

 

Texto in: http://www.revistamelhor.com.br

 

CARREIRA:

Previous post

E os vencedores deste ano são ...

Next post

Neves de Almeida fecha parceria com a Microsoft para a gestão do talento

Vanessa Henriques

Vanessa Henriques

Diretora Executiva da RHmagazine

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *