Atualidade

Sabe o que faz um analista atuarial?

Tem 24 anos, fascina-o os números e a Matemática. André Salgado não sonhou ser analista atuarial, mas foi a profissão que lhe permitiu “concretizar um objetivo pessoal”.

A Matemática foi o “caminho” que escolheu para a sua vida e é graças a ela que André Salgado é, aos 24 anos, analista atuarial. É uma das profissões com mais saída no mercado de trabalho e caracteriza-se pela aplicação de cálculos matemáticos e estatísticos a operações financeiras, especialmente na área dos seguros. É exigida, para se aceder à profissão, uma licenciatura em Matemática ou Matemática Atuarial, Economia, Gestão ou Finanças.

André Salgado é licenciado em Matemática e, em 2015, dado o seu “gosto pela aplicação da disciplina no mundo real”, escolheu o mestrado em Métodos Quantitativos em Finanças, lecionado, em conjunto, pela Faculdade de Economia e de Ciências e Tecnologias da Universidade de Coimbra, para prosseguir os estudos. Dois anos depois, chegava à Mercer. “Quando vi a oportunidade de recrutamento da Mercer, e dado o perfil das pessoas que pretendiam recrutar, interpretei que as minhas competências pessoais e académicas, adquiridas na área da Matemática, poderiam enquadrar-se de uma maneira bastante interessante no perfil desejado”, começa por dizer ao InfoRH.

Matemática: uma aliada na melhoria da qualidade de vida

Na atividade atuarial, a Matemática é posta ao serviço das pessoas, “com o intuito de melhorar a sua qualidade de vida, através da avaliação de um conjunto de benefícios”. “Enquanto analista atuarial na Mercer, analiso, trato os dados dos funcionários de uma determinada empresa e quantifico o seu compromisso por atribuir benefícios pós-reforma aos seus colaboradores”, adianta.

É uma atividade complexa e exigente, mas, com as suas palavras, André Salgado simplifica e condensa em três frases o que faz, todos os dias, e que lhe permite desenvolver as suas capacidades cognitivas e atitudinais. “Neste momento, realizo avaliações atuariais de empresas da Alemanha e do Reino Unido. As organizações pretendem proporcionar um conjunto de benefícios aos seus trabalhadores. Nós recebemos os dados dos trabalhadores e, a partir da sua análise, calculamos o valor monetário que a empresa precisa de alocar para proporcionar um dado benefício a um determinado funcionário”, explica.

O desafio é “estimulante” e requer um trabalho em equipa. “Na Mercer, os colegas com mais anos de casa e com mais experiência na área atuarial transmitem valiosos conhecimentos e práticas aos colegas juniores. Sempre que surge uma dificuldade há sempre alguém pronto a prestar-nos auxílio”, destaca o jovem atuário.

A formação aos olhos do colaborador

A aposta na formação é uma preocupação da consultora, que “consegue proporcionar aos seus colaboradores um leque de oportunidades para promover a sua realização profissional não só em Portugal, como no exterior”. “Antes de entrar no mercado de trabalho, tinha uma grande expectativa em compreender como seria a adaptação do conhecimento que aprendemos ao longo do percurso académico às tarefas no contexto de uma empresa”, revela André Salgado.

A atividade atuarial não vive apenas de números. O desenvolvimento dos colaboradores é efetuado recorrendo a formação técnica e estimulando as suas soft skills. Um atuário comunica – à semelhança dos demais profissionais de distintas áreas –, lida com diferentes culturas e influencia. “Ao entrar na Mercer foi-me dado, e aos restantes colaboradores que entraram para exercer funções semelhantes, um conjunto de formações que nos permitiu perceber, efetivamente, o exercício profissional de um atuário e todos os pormenores técnicos próprios de cada serviço. Adicionalmente, existe formação contínua que nos permite desenvolver outras competências, designadas de soft skills”, refere.

“A formação técnica é dada pelos colaboradores da Mercer tendo por base as nossas necessidades, o que acreditamos ser parte do sucesso para conseguir ter as pessoas com as competências necessárias para os serviços que prestamos”, acrescenta Nélia Câmara, partner da consultora, que aproveita para referir que “não tem sido difícil recrutar jovens talentos nas áreas da Matemática, Engenharia, Economia e Gestão”. “Em 2018, vamos aumentar a nossa equipa em cerca de 50 colaboradores, sendo que a maioria já foi recrutada”, afirma a responsável.

Em março, André Salgado venceu o programa “Os Extraordinários”, da RTP1. “Os meus amigos viram o anúncio do programa nas redes sociais e acharam que as brincadeiras que eu lhes fazia com números podiam enquadrar-se no formato do programa. Dada a manifestação do seu apoio, achei que era uma excelente oportunidade para sair da minha zona de conforto e partilhar com mais pessoas este talento e gosto pelo cálculo mental”, conta.

Na Mercer estão “muito orgulhosos de o ter como colega não só por ter ganho o concurso, mas pelo contributo que tem dado à equipa desde a sua entrada na empresa”, diz Nélia Câmara. Na consultora, são mais de 100 os profissionais a desempenhar funções de atuário para 13 países. “A equipa de Lisboa impactou de forma positiva mais de dois milhões de indivíduos (colaboradores dos nossos clientes e/ou reformados e pensionistas) em 2017, o que demostra claramente a importância destes profissionais quando comparamos com o número de habitantes em Portugal”, concretiza a responsável da Mercer.

Para o futuro, André Salgado pretende “continuar a trabalhar como analista atuarial numa projeção a longo prazo”, mas sempre expectante em relação a “oportunos e interessantes desafios” que lhe possam ser colocados nos próximos anos. “Considero, contudo, que esses desafios me continuarão a despertar um maior fascínio pela Matemática e pelas suas mais diversas aplicações”, finaliza.

 

Voltar à homepage

 

Mais notícias:

 

Facebook
image_pdfimage_print
Previous post

Como o Social Media pode potenciar os seus resultados de recrutamento?

Next post

APESPE RH opõe-se à taxa de rotatividade em trabalhos temporários

Mónica Felicidade

Mónica Felicidade

No Comment

Deixar uma resposta